Clássico Ca-Ju: 5 jogadores históricos que vestiram as camisas dos times da Serra gaúcha

Fabio Utz
·2 minuto de leitura

A segunda-feira é de clássicos pelo Campeonato Gaúcho, Depois do Gre-Nal de sábado, outros três duelos de absoluta rivalidade agitam a nona rodada da competição: Caxias x Juventude, Brasil x Pelotas e Aimoré x Novo Hamburgo. Para esquentar ainda mais o clima do Ca-Ju, que será realizado no estádio Centenário a partir das 20h, o 90min lista cinco jogadores históricos da dupla de Caxias do Sul.

1. Flavio Campos (volante)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Simplesmente o capitão da maior conquista da história do Juventude. Foi ele quem ergueu a taça da Copa do Brasil de 1999, em pleno Maracanã. Ele também era o líder do único Gauchão vencido pelo clube, em 1998.

2. Paulo Turra (zagueiro)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Caxias tem um título gaúcho em toda a sua trajetória. A histórica conquista de 2000 colocou o capitão Paulo Turra na lista de heróis do clube grená. E com justiça, claro.

3. Lauro (meia)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O Laurinho, como é conhecido, tem um espaço especial no coração da papada. Fez praticamente toda a base na equipe alviverde e esteve em campo nas maiores glórias do clube.

4. Gilmar (goleiro)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

O goleiro, além de fechar a meta caxiense no Estadual de 2000, ainda é eternamente lembrado por defender uma cobrança de pênalti de Ronaldinho Gaúcho na decisão. Nada mais representativo.

5. Emerson (goleiro)

Este conteúdo não está disponível devido às suas preferências de privacidade.
Para vê-los, atualize suas configurações aqui.

Ele começou no Grêmio e, desde cedo, já era considerado um jogador fora da curva. Porém, teve problema de lesão e viu nomes como Danrlei tomarem sua vaga. Precisou se reinventar, e foi na Copa do Brasil de 1999 que atingiu seu auge, iniciando a escalação titular do Ju.