City vence Dortmund (2-1) nas quartas da Champions e leva vantagem para jogo de volta

·3 minuto de leitura

O Manchester City derrotou o Borussia Dortmund por 2 a 1 nesta terça-feira, na Inglaterra, e vai levar uma leve vantagem para o jogo de volta das quartas de final da Liga dos Campeões, na próxima quarta-feira, na Alemanha.

O belga Kevin de Bruyne (19) abriu o placar para o líder da Premier League. Marco Reus empatou para os alemães na reta final (84), mas Phil Foden deu a vitória nos últimos instantes (90) à equipe de Pep Guardiola.

"Sentimos a pressão hoje, nesta competição, em casa, sem saber como reagiríamos”, afirmou o técnico espanhol, aliviado após o jogo.

"Lutamos até o fim com todas as forças, é muito frustrante sofrer um gol no final da partida", lamentou o veterano zagueiro Mats Hummels.

Esse segundo gol "era evitável, mas fizemos um bom jogo táticamente e isso deverá nos dar confiança" para o duelo de volta, explicou o atacante alemão, Marco Reus.

O City já venceu 27 de seus últimos 28 jogos contando todas as competições e permanece no rumo de uma histórica quádrupla coroa com Liga dos Campeões, Premier League, FA Cup e League Cup.

O time de Manchester confirmou logo cedo seu status de favorito neste duelo contra o Dortmund que apareceu no Etihad Stadium sem três de seus pilares, o meio-campista belga Axel Witsel, o ponta Jadon Sancho e a joia de apenas 16 anos, Youssoufa Moukouko.

Erling Haaland foi o foco de grande parte da movimentação pré-jogo, sendo o City um dos vários clubes interessados no garoto prodígio norueguês.

O jogador de 20 anos não havia marcado gols em apenas duas das 14 partidas anteriores na Liga dos Campeões, mas desperdiçou sua única grande chance de marcar no início do segundo tempo.

- Bernardo Silva de falso 9 -

Guardiola colocou em campo sua equipe habitual, embora sem centroavante, com Bernardo Silva como falso 9 e Phil Foden, Riyad Mahrez e Kevin de Bruyne como trio de apoio ao português.

"No primeiro tempo, não fomos espertos com a bola. O segundo tempo foi muito melhor e tivemos duas ou três chances claras de marcar o segundo ou terceiro quando estávamos vencendo por 1 a 0", analisou Guardiola.

O treinador catalão acrescentou que sua equipe não vai se fechar na Alemanha, apesar da vantagem no marcador: "Vamos a Dortmund para ganhar o jogo".

E na primeiro jogada de perigo inglês, o City não perdoou. Mahrez roubou uma bola no meio do campo e montou um contra-ataque que De Bruyne finalizou com um chute rasteiro da entrada da pequena área (19).

A punição para o Dortmund poderia ter sido maior antes do intervalo, já que o árbitro romeno Ovidiu Alin Hategan marcou pênalti após uma entrada de Emre sobre 'Rodri', mas voltou atrás após consultar o VAR (29).

Os alemães, aliás, pouco assustaram o goleiro brasileiro Ederson, que nesta temporada havia sofrido apenas um gol nos oito jogos disputados.

Embora pudesse ter sido diferente, um erro de Ederson levou a um gol de Jude Bellingham que o árbitro anulou devido a uma falta do atacante de 17 anos (37).

Ederson se recuperou desse erro vencendo no mano a mano o implacável Erling Haaland no início do segundo tempo (48).

- "Duelo segue aberto" -

O City não marcou o segundo em três chances claras, duas de Foden (65 e 77) e uma de De Bruyne (76) e poderia ter pagado caro por isso em um jogo que ficou mais movimentado com o passar dos minutos.

Marco Reus empatou para os alemães depois de receber um belo passe de Haaland (84), mas os ingleses ainda tiveram tempo de levar a vitória, com um gol de Foden após uma assistência de Ilkay Gündogan (90).

"O duelo ainda está aberto. Estamos prontos para dar tudo para superar o resultado e avançar para a próxima fase", disse o técnico alemão Eden Terzic, embora tenha admitido uma "decepção com o resultado".

"Sabíamos que eles teriam muita posse de bola, mas tentamos definir onde eles a teriam. Fizemos muito bem, reduzimos as chances deles ao mínimo e criamos perigo no ataque. O jogo muito equilibrado", analisou.

hap-clv/mcd/aam