Cinco mundiais de atletismo são investigados por suspeita de corrupção

Por Chine Labbé

Por Chine Labbé

PARIS (Reuters) - Promotores franceses investigando se houve corrupção na escolha da cidade norte-americana de Eugene como sede do campeonato mundial de atletismo de 2012 também estão examinando outras decisões sobre cidades-sedes, disse uma fonte próxima ao caso nesta sexta-feira.

O inquérito, um de um conjunto de investigações francesas sobre alegações de compra de votos nas concessões de eventos esportivos, está examinando as decisões pela Iaaf, a federação mundial de atletismo, de dar o seu evento para Doha (2019), Londres (2017), Pequim (2015) e Moscou (2013), disse a fonte à Reuters.

Outras investigações já em andamento incluem duas sobre os Jogos Olímpicos realizados no Rio de Janeiro em 2016 e os de Tóquio em 2020. “Seis membros atuais e antigos do Comitê Olímpico Internacional são suspeitos de receber pagamentos em troca de votos para eventos esportivos”, afirmou a fonte.

Os seis incluem Frank Fredericks, da Namíbia, que deixou na terça-feira o cargo de chefe de uma equipe que avalia propostas para as Olimpíadas de 2024, e o ex-presidente da Iaaf Lamine Diack, que já é investigado por corrupção depois das acusações de que ele recebeu propina para encobrir testes antidoping positivos de atletas russos.