Cinco meses depois, Bolsonaro ainda não nomeou Regina Duarte para Cinemateca

Colaboradores Yahoo Notícias
·1 minuto de leitura

Em 20 de maio, o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) anunciou a saída de Regina Duarte da Secretaria Especial de Cultura e prometeu a ela um cargo na Cinemateca Brasileira, em São Paulo. Cinco meses depois, a nomeação ainda não aconteceu.

Em grave crise financeira, a Cinemateca está sob controle do governo federal há dois meses e meio. O órgão tem salários atrasados e acervo ameaçado por falta de verba para a manutenção. As informações são da revista Época.

Leia também

“Regina Duarte relatou que sente falta de sua família, mas para que ela possa continuar contribuindo com o Governo e a Cultura Brasileira assumirá, em alguns dias, a Cinemateca em São Paulo”, escreveu o presidente em uma rede social.

“Acabo de ganhar um presente que é o sonho de toda pessoa de comunicação, de audiovisual, de cinema, de teatro. Um convite para fazer Cinemateca, que é um braço da cultura. É um museu de toda filmografia brasileira. Obrigada, presidente!”, disse Regina no vídeo em que anuncia a saída da secretaria da Cultura.

A exoneração de Regina Duarte saiu no DOU (Diário Oficial da União) em 9 de junho. Dez dias depois, o ator Mario Frias ocupou o cargo de secretário de Cultura do governo Bolsonaro.