Cinco anos após primeira tentativa, Botafogo dá fim a busca por atacante e confia em Rafael Moura

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·3 minuto de leitura
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


Rafael Moura era um nome que entrava em pauta no Botafogo em praticamente todas as janelas. O He-Man era um nome certo no "bolão dos sondados" pelo clube. De fato, o Alvinegro tem um histórico de tentativas para tentar contar com o atacante. A assinatura, porém, ocorreu apenas em 2021: ele chega com a expectativa de liderar o sistema ofensivo do time na Série B.

+ Liderança, bom na bola aérea e fora do auge físico: como Rafael Moura chega ao Botafogo

Mesmo aos 38 anos, a diretoria confia que ele pode liderar o ataque do Glorioso rumo à elite nacional novamente. Ele chega ao Alvinegro com metas: se bater um número pré-definido de gols, participações diretas em jogadas que terminaram em bolas na rede e aparições em partidas, terá contrato renovado automaticamente para a próxima temporada.

A questão física foi o principal entrave para concluir a negociação. Rafael Moura não está no auge neste sentido, mas vem de uma temporada com 41 partidas e 12 gols marcados pelo Goiás. Neste contexto, o He-Man atuou por 2921 minutos na última temporada, o que resulta em 32 jogos completos - e alguns "quebrados".

Em comparação com os atacantes do Botafogo no ano passado, Matheus Babi, que marcou 11 gols, teve 3296 minutos totais na última temporada; Pedro Raul, que balançou as redes em 12 oportunidades, esteve envolvido em 2826 minutos, até menos que Rafael Moura no Goiás.

Tais números, claro, foram levados em consideração e o nome de Rafael Moura foi aprovado. O Botafogo buscava um atacante alto, com porte físico e com características de jogo aéreo para complementar o sistema ofensivo, hoje formado por Rafael Navarro e Matheus Nascimento. A expectativa é que o He-Man também ajude na evolução dos dois garotos.

NÃO É DE HOJE...
A primeira investida do Botafogo por Rafael Moura foi em 2016. O Alvinegro tinha acabado de retornar à Série A e buscava um nome para a posição após a saída de Álvaro Navarro, um dos destaques da equipe na reta final da campanha de 2015.

+ Aluguel, visibilidade e estrutura: os motivos do 'sim' do Botafogo para a Copa América no Nilton Santos

O Glorioso, contudo, perdeu a corrida para o Atlético-MG, que fechou a contratação do He-Man. À época, Rafael Moura estava com 32 anos e estava livre no mercado após deixar o Internacional.

No fim de 2017 - já visando a temporada seguinte -, com a saída de Roger para o Internacional, um dos nomes buscados pela diretoria do Botafogo foi o de... Rafael Moura. O jogador, contudo, não se entendeu nos termos financeiros com a diretoria do Alvinegro e acabou fechando com o América-MG.

O último contato havia sido no decorrer da temporada 2019. Após a saída de Kieza, Rafael Moura foi o "nome da vez" pela terceira vez para a diretoria do Botafogo, mas o He-Man acabou fechando com o Goiás.

Cinco anos e quatro tentativas depois, Rafael Moura assinou com o Botafogo. O jogador foi anunciado e já começou a treinar com o grupo comandado por Marcelo Chamusca. A diretoria tenta regulariza-lo para a disputa da Série B.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos