Cidade italiana vende casas por 1 euro sem precisar de depósito

Redação Finanças
·2 minuto de leitura
A iniciativa visa combater o abandono dessas pequenas cidades, mas também exige uma série de compromissos por parte dos compradores
A iniciativa visa combater o abandono dessas pequenas cidades, mas também exige uma série de compromissos por parte dos compradores

Procurando reabitar os pequenos vilarejos no interior do país, a Itália está colocado diversas casas à venda pelo preço simbólico de 1 euro. Pelo menos 30 locais no país já aderiram ao plano de revitalização, o mais recente foi o município de Laurenzana, na região de Basilicata, no sul da Itália.

A iniciativa visa combater o abandono dessas pequenas cidades, mas também exige uma série de compromissos por parte dos compradores. Em Laurenzana, diferente de outros locais, não será preciso fazer um depósito prévio, que normalmente custa entre 2 mil euros e 5 mil euros, o que equivale a cerca de R$ 13 mil e R$ 34 mil, valor que costuma ser devolvido após a reforma na propriedade ser concluída.

Leia também:

"Queremos ajudar os recém-chegados a comprar a casa dos seus sonhos sem dificultar o cumprimento de procedimentos tediosos e requisitos rígidos", explicou o prefeito Michele Ungaro em entrevista à CNN Travel.

Estima-se que a Itália possua 5,6 mil municípios com menos de cinco mil habitantes e cerca de 6 mil municípios que já são considerados "cidades fantasmas" por estarem completamente abandonados.

"Contamos com a boa-fé e o comprometimento dos compradores, mas estaremos monitorando constantemente o trabalho em andamento e o status da reforma", complementou.

Como comprar?

O site "Case a 1 Euro" [https://casea1euro.it/] reune as opções da maior parte das ofertas, com fotos e detalhes dos imóveis. Para a compra ser aprovada, os novos moradores devem concordar em concluir as reformas em sua propriedade dentro de um determinado prazo estipulado pelo governo local. Em Laurenzana, o comprador tem até três meses após a compra para começar e o período de três anos para concluir as reformas.

Caso o novo proprietário não cumpra com o combinado, ele deverá pagar uma multa e o imóvel será devolvido à prefeitura. Antes da mudança, um plano detalhado sobre a reforma precisa ser enviado para os responsáveis antes que a oferta seja aprovada. 

Quem estiver interessado deve ter atenção, pois as reformas não são exatamente fáceis. Além de algumas casas estarem bastante degradadas por décadas de abandono, é preciso respeitar normas rígidas caso o imóvel seja considerado um bem arquitetônico ou cultural.

A boa notícia para os brasileiros é que os cidadãos de países que não pertencem à União Europeia devem solicitar uma autorização de residência, chamado de "permesso di soggiorno". O documento só é concedido a quem atender certos requisitos, como possuir uma renda estável, estar matriculado em um curso, possuir um parente que mora na Itália, ter um emprego garantido no país ou comprovar que deseja desenvolver um trabalho autônomo.