Cianorte quer competir muito contra o Santos e crescer no cenário nacional

·4 minuto de leitura
Comissão técnica, diretoria e jogadores do Cianorte, num dos campos do moderno CT do clube.
Comissão técnica, diretoria e jogadores do Cianorte, num dos campos do moderno CT do clube.

O Cianorte espera fazer dois jogos bastante competitivos contra o Santos, na terceira fase da Copa do Brasil. Os confrontos serão nos dias 01 de junho, em Cianorte, e 08 de junho, na Vila Belmiro. 

Depois de ficar entre os oito classificados para o mata-mata do Campeonato Paranaense, o time acabou sendo eliminado pelo Londrina e focou sua preparação para a Série D do Brasileiro e as partidas diante do Santos. 

O blog entrevistou o presidente do Cianorte, Lucas Franzato, a respeito do planejamento e ideias para o clube. Com 19 anos de vida, o Cianorte tem metas ambiciosas para crescer no cenário do futebol brasileiro. Confiram.  

Como está o Cianorte para os jogos contra o Santos?

A expectativa para enfrentar o Santos é muito grande. Ter a oportunidade de jogar contra um adversário como o Santos, um time histórico e de elite brasileira, disputando Libertadores, é uma oportunidade muito grande para o nosso clube e para todos os profissionais que estão aqui. A expectativa é das melhores. Temos uma semana livre de trabalho, alguns reforços devem chegar para que a gente possa estar bem preparado e competir. Sabemos da dificuldade, o quanto é difícil passar de fase, mas a gente sabe o valor e qualidade dos nossos profissionais e vamos competir para que gente possa ter a classificação. 

Qual a estrutura do clube e o planejamento para os próximos anos?

O clube é muito jovem ainda. São 19 anos, onde conseguimos grande estabilidade aqui no Paraná, com mais de 15 anos na primeira divisão e aos poucos a gente vem estruturando o clube. Falam muito que nós dirigentes temos que aumentar a probabilidade de dar certo, pagando em dia, tendo uma estrutura de qualidade como fisiologia, de alimentação, campos e profissionais qualificados. É isso que a gente vem fazendo nos últimos anos. Temos uma equipe por trás de comissão técnica, diretoria, jogadores e até de estrutura física com nosso Centro de Treinamento, muito fortes até para a nossa divisão. Então, é nisso que a gente acredita. Dar estrutura, subsídios, para que os profissionais tenham condições de trabalhos e aos poucos a gente vai conquistando os objetivos, que é subir e alcançar a Série B em até cinco anos, cravando nosso nome no cenário nacional. 

O time está pronto para a disputa da Série D do Brasileiro?

Está pronto. A base do Campeonato Paranaense foi mantida. Nossa estreia será dia 05 de junho, diante da Portuguesa, entre o primeiro e segundo jogo contra o Santos. Base mantida é um grande diferencial, ainda mais num grupo tão difícil como o nosso, com adversários de São Paulo e Rio de Janeiro. A gente sabe que, pelos nossos sonhos e pelo que a gente almeja, é fundamental conquistar o acesso esse ano. Temos um bom elenco, que vem fazendo boas competições. Os reforços pontuais que chegarão, vão nos ajudar muito e que a gente consiga ter muita consistência do início ao fim, para conquistar o acesso que o clube almeja. 

Como vês o Cianorte no cenário do futebol estadual e nacional?

Cianorte é um time em ascensão. Um clube que conquistou seu espaço no Paraná e aos poucos vem fazendo boas campanhas nacionais na Copa do Brasil e na Série D, onde chegamos perto do acesso três vezes e perdemos nos mata-matas. Vem se estruturando muito com consistência, coerência no trabalho, pés no chão, sabendo quais os passos que pode dar. Tenho convicção de que esse momento está chegando. A cada ano, estamos mais presentes em competições nacionais com boas colocações, estruturando bastante o clube. Espero que esse ano seja transformador com a Copa do Brasil e com a Série D. Um divisor de águas para que a gente consiga não só mudar o patamar de estrutura, pela questão financeira, que já estamos evoluindo, mas também por questões técnicas de acesso e crescimento no cenário nacional. Esses confrontos diante do Santos podem representar isso. 

O Cianorte tem João Burse como técnico e o meia Gabriel Calabrês, ex-Santos, como um dos titulares. Na Série D, o time está no grupo A7, com Bangu, Boavista, Inter de Limeira, Madureira, Portuguesa-SP, Santo André e São Bento. 

Em 2005, o Cianorte quase eliminou o Corinthians da Copa do Brasil, na segunda fase. Treinado por Caio Jr., a equipe fez 3 a 0 no jogo de ida, mas perdeu por 5 a 1, no Pacaembu.  

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos