Ciência de dados: como a análise de dados contribui para minimizar o erro na hora de contratar um jogador

LANCE!
·2 minuto de leitura


Um dia. Esse é o tempo que separa o fim da temporada 2020 do início da temporada 2021. Na próxima quinta, 25/02, será disputada a última rodada do Brasileiro, que consagrará Flamengo ou Internacional; e já no sábado, 27/02, alguns campeonatos estaduais serão iniciados.

+ Árbitro justifica expulsão de Nino em Santos x Fluminense: 'ofensa à honra'

Com o tempo de planejamento praticamente inexistente, os clubes terão que ser ainda mais assertivos nas contratações. E para isso, podem contar diretamente com o apoio da ciência, mais especificamente com a ciência de dados.

Vitor Principe, cientista de dados relacionados ao esporte e autor do livro ‘Dados FC: a gestão da informação aplicada ao futebol’, cita a importância do gerenciamento e do entendimento dos dados coletados durante o processo de pesquisa realizado para que a chance de erro seja reduzida na hora de contratar.

“Podemos utilizar modelos matemáticos para criar um ranqueamento dos atletas que competiram ao longo da temporada de 2020 a partir dos dados coletados durante as partidas para identificar os jogadores que se destacaram em cada competição. Vale ressaltar que, após criar esse ranqueamento, é necessário fazer uma análise qualitativa sobre os atletas indicados pelo estudo prévio.”, explicou Vitor.

A partir dessa seleção, são coletados dados técnicos com o objetivo de determinar quais atletas deveriam ser considerados para contratação. Após esta etapa, existe a necessidade de avaliar aspectos sociais para perceber como é o comportamento deste atleta no ambiente profissional e pessoal. Assim, as análises são compartilhadas com os integrantes da comissão técnica e com diretor de futebol, para discussão e tomada de decisão.

"O modelo matemático utilizado, seja ele qual for, precisa ser confiável e capaz reduzir a quantidade de atletas a serem observados. O cientista de dados é responsável em auxiliar o processo de tomada de decisão por meio de modelos quantitativos, ou seja, pautando todas as etapas nos dados disponíveis dos atletas".