Chuvas em MG deixam 53 mortos e 30 mil desabrigados

Yahoo Notícias
Casas desmoronaram na Vila Bernardete, em Belo Horizonte, deixando 4 mortos e 7 desaparecidos. (Foto: Douglas Magno / AFP)
Casas desmoronaram na Vila Bernardete, em Belo Horizonte, deixando 4 mortos e 7 desaparecidos. (Foto: Douglas Magno / AFP)

Os temporais que vêm castigando o estado de Minas Gerais provocaram 53 mortes, conforme mais recente boletim divulgado pela Defesa Civil estadual, com informações compiladas até o início da noite de terça-feira (28). As fatalidades ocorreram em 16 cidades, sendo o maior número em Belo Horizonte (14 mortes).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A principal causa dos óbitos foram situações de desabamento, desmoronamento e soterramento, com 42 casos. Oito pessoas faleceram após serem arrastadas pelas águas, enquanto outros dois episódios ocorreram em razão de afogamentos. Do total, 27 aconteceram na Região Metropolitana de Belo Horizonte e 26, em cidades do interior.

Leia também

Uma pessoa ainda está desaparecida, no município de Conselheiro Lafaiete. Outros 65 estão feridos e foram encaminhados para hospitais nas respectivas cidades.

O número de pessoas afetadas subiu de 18.111 para 33.408 entre segunda (27) e terça-feira (28). Os desalojados totalizam 28.893, enquanto os desabrigados chegaram a 4.397. Os desalojados são as pessoas que tiveram de deixar suas casas mas que não necessariamente precisa do auxílio do governo. Já os desabrigados são pessoas que perderam seus lares e necessitam de auxílio do Poder Público.

O número de municípios em situação de emergência decretada pelo estado permanece o mesmo desta segunda-feira, 101. Em 20 municípios, a emergência foi disparada pelas prefeituras. Três cidades permanecem em estado de calamidade pública: Orizânia, Ibirité e Catas Altas.

O reconhecimento da situação de emergência permite ao governo estadual engajar os demais órgãos e empresas ligadas ao Poder Executivo para priorizarem o atendimento e a reparação dos estragos causados pelas chuvas, sob a coordenação da Defesa Civil mineira. Além disso, prefeituras e o próprio Poder Executivo estadual podem contratar serviços temporários e efetuar compras consideradas essenciais para o enfrentamento da situação sem a obrigatoriedade de realizar processo licitatório.

O governo de Minas Gerais anunciou hoje a liberação de R$ 3,4 milhões para assistência aos afetados pelas chuvas. Parte dos recursos será destinada ao pagamento do Piso Mineiro de Assistência Social Fixo, que começou a ser pago hoje, incluindo antecipação das parcelas de fevereiro e março.

As chuvas também provocaram inundações no município de Sabará. Mais de 30 mil pessoas estão desabrigadas. (Foto AP/Flavio Tavares-Futura Press)
As chuvas também provocaram inundações no município de Sabará. Mais de 30 mil pessoas estão desabrigadas. (Foto AP/Flavio Tavares-Futura Press)

A Assembleia Legislativa de Minas Gerais anunciou que pretende aprovar projetos de lei voltados a apoiar as vítimas dos temporais. Um deles prevê a antecipação pelo governo estadual de repasses a municípios em situação de emergência.

Essa verba está relacionada a um montante de R$ 6 bilhões bloqueado pelo governo do estado em 2017 e 2018, que deverão ser pagos de forma parcelada a partir de abril de 2020. Outros dois projetos na Assembleia abrangem a isenção de taxas cobradas de veículos danificados pelas chuvas.

A Prefeitura de Belo Horizonte disponibilizou a possibilidade de famílias que tiveram de deixar suas casas a matricular seus filhos em escolas de tempo integral próximas aos locais onde foram abrigadas. A administração também informou que isentou os proprietários de residências atingidas do pagamento do IPTU.

da Agência Brasil

Leia também