Após caos da chuva, São Paulo tenta voltar à normalidade

Yahoo Notícias
(Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)
(Foto: Fabio Vieira/FotoRua/NurPhoto via Getty Images)

Após uma segunda-feira caótica por conta das tempestades, São Paulo amanheceu nesta terça-feira (11) com chuvas fracas e somente um ponto de alagamento. Ainda assim, a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) trabalha com três pontos de interdição na capital.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

As marginais dos rios Pinheiros e Tietê seguem sem interferências. O último ponto a ser liberado foi a Marginal Pinheiros, na altura da Ponte Engenheiro Roberto Rossi Zuccolo, livre a partir das 5h desta terça.

Leia também

A CET relatou, na manhã desta terça, interferências em duas faixas na Rua Engenheiro Edgard Ferreira de Barros Junior, na Zona Norte; outra interferência total no cruzamento da Rua Cantagalo com Rua Sete de Outubro, na Zona Leste; e uma terceira em uma faixa na Radial Leste, sentido Centro, também na Zona Leste.

No Metrô, as linhas funcionam normalmente. Já na CPTM, a linha 9-Esmeralda opera com velocidade reduzida e intervalo de 6 minutos, devido a manutenção e troca de equipamentos. O rodízio está suspenso na terça para carros e caminhões com placas final 3 e 4.

O Corpo de Bombeiros relatou que, durante toda a segunda-feira (10), atendeu o total de 10.371 ligações que resultaram em 2.345 ocorrências: 1.043 enchentes, 193 deslizamentos ou desmoronamentos e 219 quedas de árvores.

Na última atualização do Corpo de Bombeiros, por volta das 7h15 desta terça-feira, foi registrada uma ocorrência de alagamento ou enchente, oito ocorrências de deslizamentos ou desmoronamentos, e treze quedas de árvores.

A Secretaria de Educação do Estado de São Paulo informou que as aulas nas 45 escolas da Rede Estadual seguirão com aulas suspensas nesta terça até que a situação das chuvas se normalize. Já a Prefeitura de São Paulo afirmou que serão mantidas as aulas na rede municipal.

Na Saúde, todas as 468 UBS (Unidades Básicas de Saúde) da capital funcionarão com estratégia para acolhimento e resolução de intecorrências.

Leia também