Com choro de Edmundo, Palmeiras reúne ídolos para celebrar 105 anos

Gazeta Press

Presidente Maurício Galiotte celebra 105º aniversário do Palmeiras com sua diretoria (Foto: Divulgação)

A Sociedade Esportiva Palmeiras promoveu sua festa oficial de 105 anos na noite desta segunda-feira. Em uma casa de shows da Zona Oeste da capital paulista, o clube fundado em 26 de agosto de 1914 reuniu alguns dos maiores ídolos, entre eles um emocionado Edmundo, e celebrou com uma exaltação ao decacampeonato brasileiro.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Dudu, Ademir da Guia, César Maluco, Leão, Leivinha e Luis Pereira, representantes da Academia, subiram ao palco e receberam placas do presidente Maurício Galiotte. Assim como Zé Roberto e Felipe Melo, campeões do século XXI. Chamado com Zinho e César Sampaio, seus companheiros nos anos 1990, Edmundo não conseguiu se conter.

“Vocês sabem que eu sou manteiga derretida. Quando começo a falar do Palmeiras, sempre choro”, disse, interrompendo o próprio discurso. “Choro porque, com a camisa do Palmeiras, vivi os melhores momentos da minha vida”, acrescentou o ex-atacante, saudado aos gritos de “animal”.

Na entrada da festa, o Palmeiras expôs os troféus da Taça Brasil (1960 e 1967), do Roberto Gomes Pedrosa (1967 e 1969) e do Campeonato Brasileiro (1972, 1973, 1993, 1994, 2016 e 2018), todos unificados pela CBF. O clube montou ainda uma galeria de fotos dos campeões nacionais.


O anfitrião Maurício Galiotte recebeu colegas como o santista José Carlos Peres e o são-paulino Carlos Augusto de Barros e Silva. Reinaldo Carneiro Bastos e Antônio Olim, presidentes da Federação Paulista de Futebol (FPF) e do Tribunal de Justiça Desportiva (TJD), respectivamente, também marcaram presença, apesar de recentes atritos.

“A concorrência no campo esportivo não deve ser uma barreira para que consigamos chegar aos nossos interesses comuns. Precisamos adotar uma visão empresarial, pautada pelo pragmatismo e sustentada na transparência. Espero que esse encontro seja emblemático e o prenúncio de novos tempos”, disse Galiotte, em tom diplomático.

Leia também