China prevê casos de Covid devido a Olimpíada e aponta risco da Ômicron

·1 min de leitura
Logo da Olimpíada de Inverno Pequim 2022 em instalação que será usada nos Jogos em Zhangjiakou, na província chinesa de Hebei

Por Yew Lun Tian

PEQUIM (Reuters) - Organizadores da Olimpíada de Inverno de Pequim disseram nesta quinta-feira que esperam um "certo número" de casos de Covid-19 na China devido à chegada de estrangeiros para o evento e pediram enfaticamente aos participantes que recebam vacinas de reforço por causa da disseminação da variante Ômicron do coronavírus.

Autoridades também procuraram amenizar as preocupações sobre os cuidados de saúde dos participantes decorrentes da Covid, assim como as que vieram após um acidente no mês passado durante uma sessão de treino de luge em um local de competição de Pequim durante o qual um atleta polonês sofreu uma lesão grave na perna.

Nos Jogos, que devem acontecer entre 4 e 20 de fevereiro, todos os atletas, funcionários e pessoal relacionado estarão em um "laço estreito" para conter a propagação do vírus na China, que tem algumas das restrições de Covid mais rígidas do mundo e praticamente tem conseguido conter surtos locais.

"Um número grande de pessoas de países e regiões diferentes virá à China e o fluxo de pessoas aumentará. Consequentemente, um certo número de casos positivos se tornará um acontecimento de alta probabilidade", disse Han Zirong, vice-presidente e secretário-geral do comitê organizador de Pequim, em um briefing à imprensa.

Autoridades deram um relato detalhado sobre os profissionais e instalações medicinais disponíveis para se tratar de casos de Covid, lesões esportivas e cuidados médicos em geral e expressaram a confiança de que os Jogos podem ocorrer apesar da altamente infecciosa Ômicron.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos