China pede que "certas pessoas" encerrem "alarde maldoso" sobre tenista Peng Shuai

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
·1 min de leitura
Tenista chinesa Peng Shuai durante Aberto da Austrália de 2020
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.

Por Gabriel Crossley

PEQUIM (Reuters) - O Ministério das Relações Exteriores da China disse nesta terça-feira que "certas pessoas" deveriam parar com o "alarde maldoso" e a "politização" da questão da estrela do tênis Peng Shuai, enquanto governos e organizações continuam a questionar sobre o bem-estar da atleta.

O paradeiro de Peng, ex-número um de duplas do mundo, tornou-se uma tema de interesse internacional quase três semanas atrás depois que ela publicou uma mensagem em redes sociais alegando que o ex-vice-premiê chinês Zhang Gaoli a agrediu sexualmente.

Ela reapareceu no final de semana em Pequim e realizou uma videoconferência com Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), no domingo, mas a Associação de Tênis Feminino (WTA) diz que isto não aborda nem alivia as preocupações sobre seu bem-estar.

Alkan Akad, pesquisador da Anistia Internacional na China, também disse à Reuters que a videoconferência fez pouco para apaziguar os temores sobre o bem-estar de Peng e que o COI está entrando em "águas perigosas".

"Esta não é uma questão diplomática", disse o porta-voz da chancelaria chinesa, Zhao Lijian, em um briefing de rotina nesta terça-feira.

"Acredito que todos terão visto que ela participou de algumas atividades públicas recentemente e também realizou uma videoconferência com o presidente Bach, do COI. Espero que certas pessoas parem com o alarde maldoso, sem falar na politização", afirmou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos