Chilenos quebram cadeiras da Arena Corinthians e brigam com policiais

Bruno Cassucci e Gabriel Carneiro

Uma grande confusão envolvendo torcedores da Universidad de Chile e a Polícia Militar marcou o jogo de estreia do Corinthians na Copa Sul-Americana, nesta quarta-feira, na Arena de Itaquera. Cerca de 30 minutos antes de a bola rolar, pedaços de assentos do setor de visitantes do estádio do Timão foram arremessados em direção aos setores Leste Inferior e Sul, onde estavam os torcedores da equipe brasileira. O problema voltou a se repetir no intervalo, quando os PMs partiram para cima dos visitantes e entraram em confronto.

A área da torcida chilena estava ocupada quase em sua totalidade e, segundo profissionais de imprensa do país, entre 800 e mil pessoas se deslocaram de Santiago (CHI) a São Paulo para a partida.

Na primeira briga, após os momentos de tensão com o quebra-quebra de cadeiras e o revide de corintianos, que atiraram os assentos de volta, a Polícia Militar agiu na contenção. Acuados no início da ação, os policiais controlaram a situação e aumentaram a área de isolamento entre os corintianos e os torcedores rivais.

No intervalo, porém, a proporção dos conflitos foi maior. Após serem atingidos, policiais desceram até a arquibancada e atingiram os chilenos com cacetadas. Os chilenos ficaram acuados e mais da metade deles deixou a Arena antes do início do segundo tempo.





Pouco antes do início da partida, os torcedores chilenos também acenderam sinalizadores no setor visitante da Arena, o que é proibido pela Conmebol. Durante a execução do Hino Nacional os corintianos tiveram a mesma atitude,, que é passível de punição.

Ainda não há informações detalhadas a respeito dos danos à Arena Corinthians.

E MAIS: