Chileno na mira do Inter foi 12º jogador de Sampaoli e quase virou a casaca

JEREMAIS WERNEK

PORTO ALEGRE, RS (UOL/FOLHAPRESS) - O Internacional enviou ao Bétis uma oferta de empréstimo do meia Felipe Gutiérrez, de 26 anos. A proposta prevê contrato por uma temporada, sem custos, e bancando 100% do salário. O clube espanhol deverá responder até segunda-feira (27), incluindo uma opção de compra de cerca de 2 milhões de euros (R$ 6,7 milhões na cotação atual).

O jogador na mira do Inter tem no currículo passagem pela seleção chilena. Com Jorge Sampaoli, foi uma espécie de 12º jogador. A primeira opção quando o treinador não podia contar com Arturo Vidal ou Marcelo Diaz. O bom cartaz dele com o chefe quase rendeu uma virada de lado no futebol chileno.

Em 2016, Sebastián Beccacece treinava a Universidad de Chile e pediu a contratação de Gutiérrez. O detalhe: o jogador se formou na Universidad Católica, rival histórico.

Beccacece era auxiliar de Jorge Sampaoli na seleção do Chile e foi de lá que carregou a admiração por Felipe Gutiérrez. A negociação não evoluiu por conta dos valores envolvidos. À época, o meia estava no Twente-HOL e assinou com o Bétis-ESP por cerca de 3 milhões de euros. A mudança de lado acabou não se confirmando.

Formado na Universidad Católica, Felipe Gutiérrez é considerado um meia técnico. Com excelente passe de curta e média distância. Bom cobrador de faltas e capaz de desempenhas até três funções do meio campo. Na seleção, foi alternativa sempre que o setor carecia de uma peça com intensidade e dinâmica para atuar como construtor do jogo.

Na carreira, Gutiérrez não tem apenas bom conceito junto aos treinadores. As lesões já impediram sequências do meia que atua também como volante. O mais recente problema foi no joelho direito, onde houve ruptura dos ligamentos. Em fevereiro, ele voltou a atuar.

A chance de jogar no Brasil é interessante por conta da Copa das Confederações. O atual treinador, Juan Antonio Pizzi, já avisou a ele que é preciso jogar com sequência para ser confirmado na lista que será enviada para disputa do torneio.

Pizzi, aliás, foi o treinador que assistiu uma das melhores fases da carreira de Felipe Gutiérrez. Na Universidad Católica, os dois trabalharam juntos e a versatilidade e técnica do jogador encheu os olhos do comandante.