Chilavert diz que chefe da quadrilha está livre em caso Ronaldinho

Folhapress

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O ex-goleiro da seleção paraguaia José Luis Chilavert se manifestou nesta sexta-feira (13) sobre o caso envolvendo o brasileiro Ronaldinho Gaúcho, preso no Paraguai sob suspeita de usar documentos falsos para entrar no país.

No texto que publicou em seu Twitter, Chilavert pede transparência ao ministro do Interior, Euclides Acevedo, e questiona por qual razão a empresária Dalia López, que levou Ronaldinho ao Paraguai, está livre.

"Senhor Ministro do Interior, Euclides Acevedo. Os estrangeiros do caso Ronaldinho estão presos e a chefe da quadrilha Dalia López, por que ainda a deixam livre? A lei está acima de todos. O senhor, quando assumiu, prometeu justiça e transparência. Ou protege seus amigos?", escreveu o ex-goleiro na rede social.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A empresária Dalia López, que já teve o pedido de sua prisão decretado, está foragida. Segundo o seu advogado, Marcos Estigarribia, ela está com problemas de saúde e deverá se apresentar às autoridades na próxima quarta-feira (18).

Desconhecida da maioria dos paraguaios até o caso estourar, Dalia foi uma das responsáveis por levar Ronaldinho Gaúcho e seu irmão, Roberto de Assis, ao Paraguai.

O ex-jogador da seleção brasileira participaria de eventos organizados pela empresária, entre eles o lançamento de um programa chamado "Móvel de Saúde para Meninas e Meninos", iniciativa anunciada pela empresária para oferecer assistência médica gratuita a crianças e adolescentes, além do lançamento de uma suposta biografia.

A esposa do empresário Wilmondes Sousa Lira (também preso preventivamente no caso), Paola Oliveira, entregou à Justiça do Paraguai mensagens e gravações que demonstram que teria sido Dalia López a encarregada de produzir e confeccionar documentos falsos para Ronaldinho Gaúcho e Assis.

Além do pedido de prisão decretado, Dalia López é investigada por lavagem de dinheiro.

Leia também