Chelsea e Tottenham lançam notas após fechamento de caso de racismo

Rudiger foi alvo de racismo por parte de torcedores do Tottenham (GLYN KIRK / IKIMAGES / AFP)
Rudiger foi alvo de racismo por parte de torcedores do Tottenham (GLYN KIRK / IKIMAGES / AFP)


O Tottenham disse que não encontrou evidências que possam ajudar o zagueiro Rudiger no caso de racismo sofrido no clássico entre Chelsea e Spurs no último dia 22 de dezembro. A polícia da região também encerrou as investigações em que o defensor diz ter ouvido gritos de macacos na direção dele. No entanto, os dois clubes se colocaram a disposição para dar suporte ao alemão.

Em nota, o Chelsea mostrou solidariedade ao atleta e repudiou atos racistas.

- Nós apoiamos total e inequivocamente Rudiger e a falta de evidências não quer dizer que o ato não tenha acontecido. Nós temos que ter muito cuidado com o clima que criamos para jogadores que experimentam e reportam atitudes racistas. É importante encorajar os jogadores, independentemente da camisa, a denunciarem casos de racismo sem medo de represálias. Nós apoiamos a decisão de Rudiger de reportar um caso de racismo na torcida do Tottenham. Nós reconhecemos que o Tottenham e a polícia local fizeram uma investigação completa e que não acharam evidências para corroborar ou contradizer Rudiger. Não deve haver nenhuma sugestão de que o defensor do Chelsea agiu de má fé e todos no meio do futebol devem encorajar a terem confiança e apoiarem caso os jogadores queiram falar.

O Tottenham também divulgou uma nota sobre o caso.

- Nós realizamos extensas análises com imagens e filmagens, trabalhando com profissionais de leitura labial. Todo material e relatórios foram revisados pela polícia que realizou sua própria investigação. A polícia nos notificou que, depois de revisar e investigar, eles fecharam o relatório do crime, pois não encontraram evidências para apoiar a alegação de abuso racial. Apoiamos totalmente Rudiger na ação que ele tomou, mas não há evidências para corroborar ou contradizer a alegação e nem nós nem a polícia estamos em posição de tomar outras medidas. Estamos orgulhosos do nosso trabalho anti-racismo e nossa tolerância zero a qualquer forma de discriminação. Se tivéssemos identificado um culpado, iríamos proibir a entrada deles no estádio de forma vitalícia. Se surgirem novas informações, tudo será amplamente investigado.

Rudiger foi vista de racismo no clássico contra o Tottenham após se envolver na expulsão do sul-coreano Son. Os torcedores do time da casa começaram a insultar o alemão com gritos e gestos de macacos. Os alto-falantes dos estádios pediram para cessar os atos, pois estava atrapalhando o andamento da partida.










Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também