Chefe da Williams diz que objetivo da nova pintura em degradê é mostrar "marca revigorada e revitalizada"

Redação GP
Grande Prêmio

.embed-container {position:relative;padding-bottom:56.25%;height:0;overflow:hidden;max-width:100%;}.embed-container iframe, .embed-container object, .embed-container embed {position:absolute;top:0;left:0;width:100%;height:100%;}


Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A Williams foi a terceira das dez equipes do Mundial de F1 a realizar o lançamento para a temporada 2019. No começo da tarde desta segunda-feira (11), em evento realizado na internet, a tradicional escuderia de Grove divulgou uma nova patrocinadora-máster e outra pintura, bem diferente. Segundo a chefe-adjunta Claire Williams, a intenção era mostrar que as mudanças com relação ao ano passado são profundas.

Como não tem o FW42 ainda pronto, o grande chamariz do evento era a nova pintura, colocada em cima do bólido de 2018. Apareceu também a nova patrocinadora-máster, a chinesa ROKiT, criadora de smartphones. Mas as novas cores não são um projeto da nova parceira.

O carro tem a base branca e um degradê em azul bebê, quase celeste. Tudo definido em Grove e com o desejo de ser o recado: é uma nova Williams. 

O Williams FW42 (Foto: Williams)





"Gastamos muito tempo [pensando] nessa pintura. Foi tudo feito dentro da nossa casa, nós temos uma ótima equipe criativa", afirmou disse a chefe-adjunta Claire Williams. "Queria uma pintura que contasse a história sobre onde a Williams está e o futuro que acreditamos ter", seguiu.

"As cores tradicionais da Williams são azul marinho e branco, mas eu queria fugir disso. Queria mostrar ao mundo que somos uma marca revigorada e revitalizada", finalizou. 

 

A vontade de um recomeço da Williams é de fácil explicação: o time inglês marcou apenas sete pontos no Mundial de Construtores de 2018 e terminou com a última colocação.

Os testes de pré-temporada começam em Barcelona na próxima segunda-feira, 18 de fevereiro. 

 


Leia também