Chefe da Secom celebra venda de patrocínios do SBT para jogo do Fla

Folhapress
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 27-04-2020 - O secretário de comunicação Fábio Wajngarten. Boletim epidemiológico. O ministro da Saúde Nelson Teich, acompanhado dos secretários Wanderson Oliveira (Vigilância em Saúde) e Eduardo Pazuello (Secretário Executivo) durante coletiva de imprensa para divulgação do boletim epidemiológico, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)
***FOTO DE ARQUIVO*** BRASILIA, DF, BRASIL, 27-04-2020 - O secretário de comunicação Fábio Wajngarten. Boletim epidemiológico. O ministro da Saúde Nelson Teich, acompanhado dos secretários Wanderson Oliveira (Vigilância em Saúde) e Eduardo Pazuello (Secretário Executivo) durante coletiva de imprensa para divulgação do boletim epidemiológico, no Palácio do Planalto. (Foto: Pedro Ladeira/Folhapress)

SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) - O chefe da Secom (Secretaria de Comunicação) do governo de Jair Bolsonaro (sem partido), Fabio Wajngarten, comemorou no Twitter a venda de cotas de patrocínio por parte do SBT para a transmissão da final do Estadual do Rio, nesta quarta-feira (15), entre Flamengo e Fluminense.

A secretaria de Wajngarten foi incorporada em junho ao novo Ministério das Comunicações, depois que Bolsonaro recriou a pasta para a nomeação de Fábio Faria como ministro.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Faria, que hoje é chefe de Wajgarten, é genro de Silvio Santos, o dono do SBT.

"O sucesso comercial do SBT com seis cotas para o patrocínio do jogo de hoje é a comprovação de que a MP 984/20, criada pelo Presidente @JairBolsonaro, veio para mudar a realidade do futebol brasileiro. Parabéns ao SBT e aos anunciantes!", publicou o responsável pela Secom em seu Twitter.

De acordo com o jornalista Mauricio Stycer em sua coluna do UOL, o SBT adquiriu pelo menos seis cotas de patrocínio para o jogo desta quarta: Havan, PicPay, Hypera Pharma (Miorrelax), Ambev (cerveja Brahma Duplo Malte), Unilever (shampoo Clear) e Estácio.

A emissora de Silvio Santos anunciou no último sábado (11) a aquisição dos direitos de transmissão do jogo de volta da final do Estadual do Rio de Janeiro, que terá mando do Flamengo.

Na partida de ida, com mando do Fluminense, o duelo foi transmitido pela FluTV, a TV oficial do clube das Laranjeiras.

De acordo com a Medida Provisória 984, assinada pelo presidente Jair Bolsonaro e celebrada por Fabio Wajngarten, os clubes mandantes ganharam o direito de negociar com quem quisessem a transmissão de suas partidas. Isso abriu um conflito entre o Flamengo e a Globo. O time rubro-negro era o único que não tinha contrato com a emissora carioca para o torneio.

Após a publicação da MP, no dia 18 de junho, o Flamengo passou a transmitir seus jogos como mandante na TV oficial do clube, a FlaTV.

A Globo, que tinha contrato com os outros 11 participantes do estadual e com a própria Federação de Futebol do Estado do Rio de Janeiro (Ferj), tentou impedir a primeira transmissão, inclusive na Justiça, mas sem sucesso.

A emissora, então, rescindiu seu contrato com a Ferj e abriu mão dos jogos restantes da competição.

No mês passado, Fabio Wajngarten participou de uma festa promovida por Felipe Melo, jogador do Palmeiras e apoiador do presidente Bolsonaro, na qual não foram respeitadas as medidas de segurança com relação à pandemia do novo coronavírus. Os convidados estavam todos sem máscara, entre eles o chefe da Secom.

Leia também