Charles ‘Do Bronx’ celebra rival de peso e traça caminho até o cinturão do UFC

AgFight

Depois de inúmeras tentativas, Charles ‘Do Bronx’ finalmente teve seu desejo atendido pelo Ultimate e enfrentará um rival de peso na organização. E como se não bastasse, o duelo diante de Kevin Lee, oitavo colocado no ranking dos pesos-leves (70 kg), servirá como luta principal do UFC Brasília, agendado para o dia 14 de março. Animado com o melhor momento da carreira, o recordista de finalizações da liga destacou que um novo triunfo em seu país natal irá alçá-lo para outro patamar na companhia e o colocaria na rota direta pelo cinturão.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag Fight, Do Bronx esboçou sua trajetória ideal até o título da categoria até 70 kg – que hoje pertence a Khabib Nurmagomedov. Vindo de seis vitórias consecutivas na organização, o brasileiro opinou que outros dois triunfos convincentes seriam suficientes para credenciá-lo como o próximo desafiante da divisão.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Estou feliz demais com essa oportunidade que o UFC me deu (fazer a luta principal do UFC Brasília), nesse momento maravilhoso que estou vivendo na minha carreira, na minha vida. Eu estava pedindo um cara bem ranqueado e quando veio o Kevin Lee, eu fiquei feliz demais com essa oportunidade que o UFC me deu. Agora é só treinar e focar para que a gente possa fazer um grande show. Acho que sim, uma vitória sobre o Kevin Lee pode mudar o meu patamar na organização. O Kevin Lee é bem ranqueado, se eu passar por ele, com certeza eles vão me dar um cara ainda mais bem ranqueado do que ele. E aí, vencendo mais uma, eu vou ser o próximo desafiante ao cinturão. Mas agora o foco está total no Kevin Lee, em fazer uma grande luta, montar uma boa estratégia, e vencer”, ressaltou Charles, antes de projetar sua linha do tempo ideal.

“Acho que vencendo o Kevin Lee, com certeza com mais uma luta eu sou o próximo desafiante ao cinturão. Vão ser sete lutas sem deixar nas mãos dos juízes, ganhando por nocaute ou finalização. Vencendo o Kevin Lee, o UFC com certeza vai me dar um lutador do top 3, e eu vou ser o próximo desafiante ao cinturão. (Mas) O foco agora é o Kevin Lee, esse é o cara que eu tenho que bater no dia 14 de março, se eu bater esse cara, qualquer um, seja Conor McGregor, Justin Gaethje, Dustin Poirier, qualquer um do top 5, eu vou fazer uma grande luta. E eu vencendo, e vencendo bem, eu vou ser o próximo desafiante”, completou o brasileiro.

Antes sem tanto prestígio no Ultimate, Charles destacou que uma mudança em seu comportamento foi fundamental para ganhar notoriedade dentro da liga de MMA mais famosa do planeta. De acordo com o especialista em jiu-jitsu, a postura mais contundente fora dos octógonos, aliada a boas performances, foi a receita perfeita para que ele, enfim, conquistasse seu espaço na categoria.

“Acho que a minha postura mais agressiva no microfone, pedindo por um lutador ranqueado, influenciou no casamento da luta com o Kevin Lee. Chegou a hora de falar um pouco mais, lógico, mantendo a mesma humildade de sempre, mas chegou a hora de falar um pouco mais e pedir lutas. É isso que o UFC gosta, é isso que o público gosta, mas o Charles vai ser sempre o mesmo cara de sempre”, analisou Charles, em conversa com a Ag Fight.

Aos 30 anos, Do Bronx ocupa atualmente a 13ª colocação no ranking oficial do UFC. Em evidência na companhia, o brasileiro detém o recorde de maior finalizador do Ultimate – com 13 ao todo até então.

Leia também