Chapecoense perde feio, mas segue viva na Libertadores graças ao Zulia

A noite dessa quinta-feira nunca trará boas lembranças a Chapecoense. No estádio Parque Central, os catarinenses caíram diante do Nacional por 3 a 0 e ainda tiveram dois jogadores expulsos. Sorte do Verdão do Oeste que o Zulia conseguiu segurar um empate por 1 a 1 com o Lanús em casa e manteve a equipe brasileira viva na disputa por uma vaga nas oitavas de final da Copa do libertadores da América depois quatro rodadas pelo Grupo 7.

Agora, argentinos e uruguaios dividem a liderança com sete pontos cada um, com vantagem para o Lanús, que tem um saldo de gols melhor. Chape e Zulia estão logo atrás, também empatadas, com quatro pontos, mas, também por causa do critério de desempate, a Chape segue à frente.

Com isso, a próxima rodada se torna tudo ou nada para a Chapecoense, que fará uma verdadeira final diante o Lanús, fora de casa, dia 17, às 21h45. Na véspera, o Zulia receberá o Nacional às 19h30. Na última rodada, os brasileiros terão compromisso com o Zulia, na Arena Condá.

A Chapecoense encontrou muita dificuldade para colocar seu jogo em prática desde os primeiros minutos. O Nacional conseguiu encurralar os brasileiros no campo de defesa e a bola rondou a área do Verdão do Oeste até a bola entrar. E não demorou. Aos 16 minutos, Silveira arriscou a finalização, Grolli desviou e a bola ficou limpa para Kevin Ramírez só empurrar para o gol vazio.

Nem por isso a pressão dos uruguaios diminuiu. Arthur teve de trabalhar pelo menos duas vezes para evitar que as coisas piorassem ainda mais. Só aos 41 minutos a Chape conseguiu levar perigo real ao gol do adversário com um chute de Rossi, que sequer acertou o alvo.

Veio o segundo tempo e nada mudou. Bastaram quatro minutos para o Nacional chegar ao segundo gol e deixar claro que ficaria com os três pontos nessa quinta. Romero alçou na área e Aguirre resvalou de costas. O goleiro Arthur saiu no tempo errado e acabou vencido.

Para piorar, na sequência, o zagueiro Luiz Otávio deixou a sola da chuteira no adversário e foi expulso diretamente. Com um a menos, apesar das substituições de Vagner Mancini, o Nacional ainda marcou o terceiro gol, o mais bonito da partida. Silveira serviu Viúdez, que havia acabado de entrar, e o atacante conseguiu limpar a marcação para acertar um lindo chute no ângulo.

Com os 3 a 0 no placar, o time da Chapecoense perdeu a cabeça e ainda teve Rossi expulso por ter provocado o adversário em um lance obsceno. Após isso, restou esperar o tempo passar e evitar uma goleada histórica.

FICHA TÉCNICA

NACIONAL-URU 3 x 0 CHAPECOENSE

Local: Estádio Gran Parque Central, em Montevidéu (URU)

Data: 27 de abril de 2017, quinta-feira

Horário: 19h30 (Brasília)

Árbitro: Eber Aquino (PAR)

Assistentes: Rodney Aquino (PAR) e DarioGaona (PAR)

Cartões amarelos: NACIONAL: Rafael Garcia, Kevin Ramírez, Álvaro González, Sebástian Rodríguez. CHAPECOENSE: Andrei Girotto, Nathan, Grolli, Rossei

Cartões vermelhos: CHAPECOENSE: Luiz Otávio e Rossi.

GOLS:

NACIONAL: Kevin Ramírez, aos 16 minutos do 1T, Aguirre, aos 4, e Viúdez, aos 35 minutos do 2T.

NACIONAL: Esteban Conde; Jorge Fucile (Lozano), Rafael García, Diego Polenta e Alfonso Espino; Álvaro González, Santiago Romero, Rodríguez (Porras) e Kevin Ramírez (Viúdez); Rodrigo Aguirre e Hugo Silveira

Técnico: Martín Lasarte

CHEPENCOENSE: Artur Moraes; João Pedro, Luiz Otávio, Douglas Grolli e Reinaldo; Nathan, Andrei Girotto, Luiz Antônio (Apodi) e Rossi, Wellington Paulista (Túlio de Melo) e Arthur (Niltinho)

Técnico: Vágner Mancini