Chapa do Conselho do Corinthians anuncia que votará pela reprovação das contas do clube

LANCE!
·7 minuto de leitura


Na próxima terça-feira, às 18h, o Conselho Deliberativo do Corinthians se reunirá de forma virtual para votar as contas do clubes nos exercícios 2019 e 2020, que ainda estão pendentes. E nesses dias que antecedem a reunião, começam a pipocar manifestações sobre a votação. Desta vez foi a chapa "Frente Liberdade Corinthiana", que fechou voto para reprovar os balanços.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Paulistão-2021 clicando aqui

GALERIA
> Everaldo já foi! Veja quem deixou o Corinthians para a temporada 2021

Em comunicado publicado neste domingo, a chapa que tem o ex-jogador Neto entre os membros, declarou que votará para reprovar as contas corintianas dos últimos dois anos, referentes à gestão Andrés Sanchez. Isso acontece baseando-se nos seguintes aspectos: "descumprimento dos orçamentos previstos" e "descumprimento das regras do PROFUT".

- O Corinthians não pode correr o risco de ser excluído do PROFUT. Uma eventual exclusão significará tempos ainda mais difíceis para o Corinthians, com o agravamento das dívidas, chegando a uma situação de total estrangulamento financeiro para a Instituição, além de sérios problemas que poderão levar ao bloqueio e penhora de bens e patrimônio - diz o texto.

Em 2019, o balanço do Corinthians fechou com um déficit recorde de R$ 195 milhões, enquanto o ano de 2020, já prejudicado pela pandemia de coronavírus, teve um rombo de R$ 123 milhões. A dívida total do clube está na casa dos R$ 980 milhões, segundo as contas do exercícios de 2020.

Veja, na íntegra, o comunicado publicado pela "Frente Liberdade Corinthiana":

A FRENTE LIBERDADE CORINTHIANA Comunica que votará, na reunião do Conselho Deliberativo do Corinthians, pela REPROVAÇÃO dos demonstrativos financeiros referentes aos exercícios de 2019 e 2020.
As razões são várias e explicaremos a seguir de forma didática.

1. Descumprimento dos orçamentos previstos.
Previsão orçamentária é o que popularmente chamamos de “orçamento”. A previsão orçamentária, ou seja, o planejamento sobre como o Corinthians usará seus recursos financeiros em um determinado ano, é definida sempre no ano anterior, geralmente entre outubro e novembro. Por exemplo, a previsão orçamentária de 2019 foi feita, analisada, debatida, votada e aprovada pelo Conselho Deliberativo em reunião realizada no fim de 2018.

Assim, foram definidas e aprovadas as previsões orçamentárias para os anos de 2019 e 2020. Entretanto, os orçamentos não foram cumpridos pela administração do Corinthians nesses períodos, que estava sob a gestão de Andrés Sanchez. Houve uma diferença muito grande entre o que foi orçado e o que foi realizado, isto é, gasto. Em resumo, o Corinthians gastou muito mais do que arrecadou nos anos de 2019 e 2020, gerando déficits alarmantes. As dívidas saltaram de uma forma astronômica, chegando ao montante de R$1 bilhão, sem contar as dívidas referentes à Neo Química Arena. Dessa forma, como as previsões orçamentárias foram totalmente desrespeitadas pela presidência do Corinthians sob o comando de Andrés Sanchez, os demonstrativos financeiros (popularmente chamados de “contas”) devem ser REPROVADOS. Não há outra alternativa ética e honesta!

Ficam os questionamentos: como conseguiram gastar tanto? O que fizeram com o dinheiro do Corinthians? Que resposta o Conselho Deliberativo do Corinthians dará aos gestores responsáveis (ou irresponsáveis!) que praticaram gravíssimos atos de gestão temerária que levaram o Corinthians à PIOR CRISE DE SUA HISTÓRIA, ocasionando grande prejuízo à Marca e causando alarmante risco de não continuidade de atividades, de penhora de bens e de perda de patrimônio?

2. Descumprimento das regras do PROFUT
O PROFUT (Programa de Modernização da Gestão e de Responsabilidade Fiscal do Futebol Brasileiro) é um programa do Governo Federal que visa melhorar a gestão financeira dos clubes brasileiros. Quando um clube adere ao PROFUT, consegue refinanciar todas as suas dívidas com o Governo Federal e pagar em prestações mais suaves e em um período maior. Dessa forma, o Clube consegue maior fôlego financeiro para quitar seus débitos. Porém, para que isso ocorra, existem exigências que o Clube deve seguir. Caso não siga o que foi acordado, o Clube é excluído do PROFUT e terá que quitar todas as suas dívidas com o Governo Federal em poucas parcelas e num curto período. Foi o que aconteceu com o Cruzeiro.

O Corinthians aderiu ao PROFUT em 18 de novembro de 2015, concordando com as exigências. Na época, a dívida do Corinthians era de quase R$182 milhões. Ela foi parcelada em 240 vezes (20 anos), com abatimento de 70% das multas, 40% dos juros e 100% dos encargos cobrados. Um ótimo negócio.

Porém, a gestão Andrés Sanchez descumpriu as exigências do PROFUT ao praticar atos de gestão temerária, infringindo 3 artigos da Lei.

Por esses descumprimentos, o Corinthians corre sério risco de ser excluído do PROFUT e ter que pagar uma dívida gigantesca em poucas vezes, podendo ter, inclusive, receitas bloqueadas e bens penhorados para arcar com essa dívida.

3. Salvaguarda ao PROFUT
Porém, o PROFUT possui um dispositivo que pode impedir que o Corinthians seja excluído. Para isso, o Clube deverá dar sinais de que está mudando a conduta e que punirá o administrador responsável pela prática de gestão temerária e de descumprimento do Profut. A única forma para viabilizar isso está na REPROVAÇÃO das contas de 2019 e 2020 pelo Conselho Deliberativo. Ao votar pela reprovação, o Conselho Deliberativo sinaliza ao Governo Federal, em nome do Corinthians, que não compactua com a gestão temerária praticada pelo presidente do Clube na época e que tomará atitudes para que mudanças rumo a uma gestão responsável, transparente e sustentável venha a ocorrer. Isso está garantido no Artigo 23 I, a. da Lei nº 13.155/2015, que instituiu o PROFUT:

“Art. 23. A Apfut poderá deixar de realizar a comunicação a que se refere o inciso IV do caput do art. 22 desta Lei, caso:
I – a entidade desportiva profissional, quando cabível:
a) adote mecanismos de responsabilização pessoal dos dirigentes e membros de conselho que tiverem dado causa às irregularidades; e
b) regularize a situação que tenha motivado a advertência;“

Do contrário, se o Conselho Deliberativo votar pela aprovação das contas de 2019 e de 2020, ou mesmo se reprovar uma, mas aprovar a outra, mostrará que nada mudou e nem mudará, além de dar aval e consentimento a uma série de improbidades praticadas por Andrés Navarro Sanchez no exercício da presidência do Clube. Isso colocará o Corinthians sob seríssimo risco de ser excluído do PROFUT.

É IMPERATIVO QUE AS CONTAS DE 2019 E DE 2020 SEJAM REPROVADAS!
O Corinthians não pode correr o risco de ser excluído do PROFUT. Uma eventual exclusão significará tempos ainda mais difíceis para o Corinthians, com o agravamento das dívidas, chegando a uma situação de total estrangulamento financeiro para a Instituição, além de sérios problemas que poderão levar ao bloqueio e penhora de bens e patrimônio.

O PAPEL DO CONSELHO DELIBERATIVO
O Conselho Deliberativo do Corinthians tem entre suas atribuições a fiscalização das ações da administração e de zelar pelo Estatuto do Sport Club Corinthians Paulista. Sendo assim, o Conselho Deliberativo tem por dever dar resposta firme contra os atos de gestão temerária e de descumprimento do Estatuto que coloquem em risco a Instituição Corinthians, sua Marca, seu Patrimônio e os direitos de seus Associados e Torcedores. Os Demonstrativos Financeiros de 2019 e 2020 são flagrantes provas de uma administração desastrosa praticada por Andrés Sanchez e seus Diretores e, por isso, devem ser REPROVADOS. Não há outra resposta ética a ser dada!

A FRENTE LIBERDADE CORINTHIANA ressalta seu compromisso com a Ética, a Governança e a Sustentabilidade e se posiciona pela REPROVAÇÃO das contas de 2019 e 2020.

Engana-se quem pensa que o voto pela reprovação das contas poderá acarretar em mais prejuízo financeiro ou manchará a marca ao Timão. Pelo contrário! A reprovação será a resposta que o Corinthians dará de que não mais tolerará atos de gestão temerária e de irresponsabilidade financeira. Além disso, os frutos da reprovação das contas serão a não exclusão do PROFUT e um aceno ao mercado de que o Clube primará pela sustentabilidade financeira. É tudo o que grandes marcas desejam para voltarem a se associar ao Corinthians.