Chamusca defende Benevenuto após derrota do Botafogo para o Fla: 'Não podemos colocar tudo na conta dele'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Marcelo Benevenuto foi um dos protagonistas do Botafogo na derrota para o Flamengo por 2 a 0, nesta quarta-feira, pela 4ª rodada do Campeonato Carioca. De forma negativa. O zagueiro teve um erro individual e foi superado por Rodrigo Muniz, do Rubro-Negro, no lance que gerou o primeiro gol do duelo.

O camisa 14, também esteve envolvido em um lance capital diante do Vasco, na última rodada. Ao tentar, sem sucesso, afastar uma bola pela linha de fundo, Benevenuto gerou o escanteio que resultou no gol de empate do Cruz-Maltino. Em entrevista, Marcelo Chamusca, treinador do Botafogo, afirmou que os resultados não podem ser colocados em cima de atuações individuais.

- O (jogo do) Vasco é algo que temos que analisar com cuidado. O lance que originou o escanteio ele estava envolvido. Eu não sei se é justo a gente colocar na conta do atleta um erro que gerou o escanteio. O Marcelo poderia ter tirado a bola para escanteio, o Marcelo poderia ter raspado a bola. Não estou querendo defender, apenas ser justo. Ele fez seis jogos, nos quatro primeiros não teve nenhum tipo de problema. O emocional dele está muito tranquilo, a gente conversou bastante e vê no jogador algumas qualidades interessantes. Eu sei que existe um desgaste, temos esse cuidado sobre essa questão do equilíbrio emocional. Ele está se sentindo confortável para jogar. É uma posição que temos dificuldade - afirmou.

O comandante destaca que o camisa 14 não pode levar a culpa inteira por uma derrota, afirmando que a equipe pode mudar e todos os jogadores do elenco estão em igualdade de competitividade.

- A nossa análise vai continuar sendo permanente, em algum momento podemos optar por outro jogador, desde que entendemos que o atleta tem interferido diretamente na performance da organização defensiva. A gente não pode em nenhum momento aproveitar uma situação de jogo que perdemos e colocar tudo na conta dele. É injusto. Até a última rodada sequer tínhamos sido vazados. Nosso sistema defensivo vinha funcionando bem e ainda acredito que está assim. Erros acontecem e cabe a nós tomar as decisões - analisou.