Chamado de mentiroso, Roberto espera rebater Inter “na hora exata”

O presidente Roberto de Andrade se controlou nesta terça-feira para não criar ainda mais polêmica com o Internacional, time com o qual o Corinthians criou uma forte rivalidade nos últimos anos. Adversários na quarta fase da Copa do Brasil, os dois clubes viram recentemente uma tentativa de troca dos meias Giovanni Augusto e Valdívia fracassar.

Irritados com os rumos da negociação, Antônio Carlos Zago e Roberto Melo, técnico e vice-presidente do Internacional, respectivamente, chamaram a diretoria do Corinthians de mentirosa. Segundo eles, o clube gaúcho jamais ofereceu Valdívia ao paulista.

“Eles falam o que querem, e eu falo o que quero”, disse Roberto de Andrade, após uma reunião na sede da Federação Paulista de Futebol (FPF), que serviu para definir os locais, datas e horários dos jogos contra o São Paulo, pela semifinal estadual. “Eles deram essas declarações, mas, na hora exata, vou mostrar para vocês quem está mentindo. Podem aguardar, que vou mostrar”, ameaçou.

O presidente do Corinthians justificou que preferia postergar a sua resposta ao Inter em função dos confrontos da Copa do Brasil, nesta e nas próximas quartas-feiras, no Beira-Rio e em Itaquera. Ele não quer aumentar a hostilidade à equipe dirigida por Fábio Carille em Porto Alegre.

“Não quero criar polêmica alguma, um clima ruim para o jogo. O que devemos fazer agora é entrar em campo, mostrar o nosso trabalho e vencer o Inter”, priorizou Roberto, sem se deixar levar nem mesmo quando foi lembrado de que havia sido chamado de mentiroso. “São eles que acham que sou mentiroso, e não todo o mundo. É uma opinião deles. Só isso.”

A negociação fracassada que envolvia Valdívia (o meia colorado chorou ao marcar um gol pouco após a sua permanência) e Giovanni Augusto (o alvinegro se recusou a sair de São Paulo) é apenas mais um episódio controverso na relação entre Inter e Corinthians. Nos últimos anos, os clubes rivalizaram no Campeonato Brasileiro de 2015, na Copa do Brasil de 2009 e quando foram rebaixados à Série B, entre outras ocasiões.

“O clima é sempre hostil porque eles criaram essa rivalidade. Mas tudo bem. Dentro de campo, vamos jogar sem problema algum”, amenizou Roberto de Andrade, já farto do tema. “Não estou aqui para discutir o Inter. Vamos falar de Corinthians e São Paulo”, orientou, referindo-se ao confronto válido pelas semifinais do Campeonato Paulista.