César Sampaio vê Palmeiras de Felipão com poucas variações táticas

Yahoo Esportes
César Sampaio durante evento em 2017 (Fernando Dantas/Gazeta Press)
César Sampaio durante evento em 2017 (Fernando Dantas/Gazeta Press)

Por Marcelo Guimarães

Capitão do Palmeiras no título da Copa Libertadores de 1999, César Sampaio lamentou a eliminação para o Boca Juniors, na semifinal do principal torneio sul-americano e destacou a fragilidade do esquema tático alviverde. Para o ex-jogador, o técnico Luiz Felipe Scolari montou uma equipe com poucas variações e muitas ligações diretas.

Você já viu o novo app do Yahoo Esportes? Baixe agora!

Sampaio não tirou os méritos do treinador, que levou o time às semifinais da Libertadores e Copa do Brasil, além da liderança do Brasileirão, mas disse que ele mantém a mesma forma de trabalhar do período que o treinou, esperando o adversário e jogando no contra-ataque.

– Eu acho que a ideia de jogo do Felipe não mudou. É um treinador reativo, ele se sente melhor não propondo o jogo, jogando no contra-ataque ou com ligação direta. É um jogo sem muitas variações e que vinha dando certo. Na Libertadores, o Palmeiras passou pelo Cerro Porteño e pelo Colo-Colo. Na verdade, a Libertadores só começou agora para o Palmeiras. Eu acho que o Grêmio pegou adversários mais fortes. Este estilo de jogo dá certo no Campeonato Brasileiro, porque lá estão equipes tecnicamente mais limitadas. Na Libertadores, equipes como o River e o Boca nos ensinaram. Você precisa propor o jogo. Tem que ter a bola e também propor o jogo, não ficar aguardando o adversário.

O ex-jogador lembrou que, desde que Scolari assumiu o Palmeiras, nesta temporada, o time não havia sofrido dois gols em uma partida, até o confronto semifinal contra o Boca Juniors. Ele ainda destacou que o ataque não foi efetivo em Buenos Aires.

– Acho que até o jogo contra o Boca, o Felipão ainda não havia sofrido dois gols em uma partida. O primeiro gol do Boca, em Buenos Aires, foi um erro da linha de marcação. Eles marcaram por zona e não fecharam. Foi um erro coletivo. O segundo gol foi mérito do Benedetto. O primeiro gol, em São Paulo, foi em uma troca de posições, mas acho que foi muito por conta do resultado adverso na Argentina. O Palmeiras jogou com a linha alta e deu espaço para o contra-ataque. Além disso, os atacantes do Boca foram mais efetivos que os do Palmeiras, que não funcionaram na primeira partida. Não foi um jogo de qualidade técnica alta, em se tratando de um jogo como Palmeiras e Boca, mas foi como ele se apresentou, depois da primeira partida.

Com o atual elenco alviverde, Cesar Sampaio afirmou que Felipão tem condições de colocar a equipe para jogar de outra forma.

– Eu acho que o Palmeiras pode jogar de outra forma. O Palmeiras tem o Scarpa, Guerra, Lucas Lima. Pode jogar sem uma referência, com o William e o Dudu. O Palmeiras tem os “camarões” que o Felipão falou. Só que essas variações a gente ainda não viu com o Felipão trabalhando. A gente viu o time com um jogo mais direto. Esse é o jogo do Felipão, ele coloca o time adversário no seu campo e joga nos 20, 30 metros nas costas dos zagueiros. Quando o Palmeiras jogou com um time mais fechado, com linhas baixas, um adversário tecnicamente bom, como é o Boca, ele sofreu.

Força no Brasileirão

Para ele, o fato da equipe alviverde agora estar em apenas uma competição também pode ser um fator positivo.

– A eliminação na Libertadores pode mexer com a cabeça dos jogadores. Era um time que estava em três competições e ficou apenas em uma. O Felipe disse que, quando o time ainda estava nas três, queria ganhar pelo menos uma competição. Essa uma, pela característica do Felipão, parecia ser no mata-mata. E a que sobrou é em pontos corridos. O time ainda tem uma vantagem importante e ele precisa colocar em campo quem está menos desgastado fisicamente. Agora, os jogadores vão apostar todas as fichas no Campeonato Brasileiro.

Leia mais:
– Diretoria do São Paulo está insatisfeita com Nenê
– Como Tiago Nunes levantou o Furacão em 2018
– São Paulo rouba 3º analista do Corinthians em dois anos

Leia também