Cielo sobre prisões: 'Natação está tomando um golpe atrás de outro'

Última seletiva para o principal desafio do ano começa em meio a ambiente tumultuado por denúncias na CBDA e crise. Campeão olímpico pode fazer ‘revanche’ contra Ítalo Duarte

Único campeão olímpico da natação brasileira, Cesar Cielo não mostrou-se chocado com a bomba que explodiu na Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) na manhã desta quinta-feira. A prisão do presidente Coaracy Nunes, por desvio de verbas, juntamente com os cartolas Sérgio Ribeiro Lins de Alvarenga (diretor financeiro) e Ricardo Cabral (coordenador do polo aquático). foi tema de entrevista coletiva realizada no Esporte Clube Pinheiros (SP) para apresentação da equipe. A prisão dos políticos faz parte da Operação Águas Claras. O superintendente da CBDA, Ricardo de Moura, está foragido.

- Não vou falar que é uma surpresa. Está rolando há um tempo essa operação . A natação está tomando um golpe atrás do outro, é um momento bem delicado. Espero que o andamento das coisas seja para verdade - disse Cesar Cielo.

A Polícia Federal também concedeu uma entrevista coletiva nesta quinta-feira e afirmou que a denúncia foi realizada por atletas e ex-atletas. Cielo alega que não fez depoimentos.

- Eu não prestei depoimento nenhum, mas sei de muitos atletas, inclusive medalhistas em mundiais, que prestaram. Não recebi nenhum chamado.





O dono de três medalhas olímpicas (um ouro e dois bronzes), acredita que este pode ser o momento dos atletas conseguirem mais força perante a Confederação.

- A gente, como atleta, gostaria de ter voz. Precisaríamos fazer uma coisa efetiva, coisa que a natação nunca teve, e se teve, eu mesmo nunca participei. Dentro dessa nova formação, trabalhar com uma comissão de atletas será obrigatório porque não dá para, quem faz acontecer na natação, não ter opinião - disse o atleta, que busca índice para disputar o Campeonato Mundial deste ano, após não ter conseguido a vaga na Olimpíada do Rio 2016.

Com 30 anos e seis títulos mundiais em piscina longa, Cesar acredita que o recém-aposentado Thiago Pereira possa ser o fio condutor dessa mudança.

- Nesse caso, acho que o Thiago vai ser a grande cartada nesse futuro próximo fora da água, vai ser o cara que vai fazer a diferença.

O nadador lamentou o atual cenário, mas espera por dias melhores para os esportes aquáticos no país.

- É difícil trabalhar com a falta de credibilidade, buscar patrocínio futuro. Vamos passar por uma reformulação. Espero que o presidente, que deve entrar logo, entre com uma cabeça para levantar a empresa natação, por que o momento é delicado.










E MAIS: