Cerrone descarta uso de 'trash talk' contra McGregor e espera melhor versão de rival

O dia 18 de janeiro de 2020 vai marcar o retorno de Conor McGregor ao Ultimate. O irlandês vai encabeçar o card do UFC 246, em duelo diante de Donald Cerrone, válido pelos meio-médios (77 kg), em Las Vegas (EUA). Responsável por “receber” o irlandês de volta ao octógono, o ‘Cowboy’, ao contrário de muitos atletas que enfrentam o ‘Notorious’, descartou o uso de ‘trash talk’ para este confronto e vai se manter no mesmo estilo.

Em entrevista ao site ‘MMA Junkie’, Cerrone destacou que não pretende usar os últimos problemas pessoais de McGregor, como acusação de violência sexual e uma agressão contra um idoso em um bar, para atacá-lo e deixá-lo desconfortável antes da luta entre eles. De acordo com o americano, ele tem algumas semelhanças com o irlandês.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

“Não sou um cara que fala muito (palavrão). Não faço nada maluco em público ou estranho para que ele tenha coisas ruins a dizer. O que ele pode inventar e dizer? Eu não vou falar mal dele. Ele faz a vida e, o que ele quiser, ele pode. Sou tão selvagem e louco como ele, mas de uma maneira diferente. A mídia continua me perguntando: ‘O que você acha do problema que ele causa?’ Qualquer coisa que ele faça, as pessoas querem fazer um barulho grande. Essa é a vida dele. Eu nunca iria explorar algo assim. De jeito nenhum”, disse o americano, antes de frisar que tem a impressão que verá a melhor versão de McGregor no octógono.

“(Espero) o mesmo cara faminto que sempre houve. Ele está vindo para bater na minha cabeça. Há muito peso nessa luta, então provavelmente vou conseguir o melhor Conor McGregor”, completou.

Nos últimos anos, Conor McGregor é sinônimo de altas cifras para o UFC, por atrair um grande público em qualquer evento que participe. Dessa maneira, enfrentá-lo poderia significar uma boa bolsa. Ciente dessa ideia, Donald Cerrone fez questão de esclarecer que sobre o montante que vai receber por esse duelo e brincou.

“Meu contrato é bom com o UFC de qualquer maneira, mas não é a luta que todo mundo pensa. É como, ‘Oh, você está lutando com Conor, você está com a vida ganha’. Não é assim. Recebi um pouco mais de dinheiro, então isso é legal. Mas não é como se eu pudesse me aposentar depois disso, comprar um iate e ver vocês no Caribe”, contou.

Sem lutar desde outubro de 2018, quando foi derrotado por Khabib Nurmagomedov em disputa pelo cinturão peso-leve do Ultimate, Conor McGregor retorna aos octógonos após inúmeras polêmicas e incidentes em sua vida pessoal. Já Cerrone vem de duas derrotas consecutivas, a última delas para Justin Gaethje em setembro deste ano. O duelo entre eles será válido pelo peso-meio-médio (77 kg).

Leia também