Ceni prevê similaridades entre Vasco e Vélez, e derrota em 'ensaio geral' obriga Flamengo a tirar novas lições

Matheus Dantas
·2 minuto de leitura


Entre o título do Supercopa do Brasil e a estreia na Libertadores, o clássico com o Vasco, pelo Estadual, colocou-se como um "ensaio geral" para Rogério Ceni. A derrota por 3 a 1 e a atuação no Maracanã, na noite de quinta-feira, ligaram o alerta para determinados aspectos que o time precisa corrigir até a partida de terça, em Buenos Aires, contra o Vélez Sarsfield (ARG) pelo Grupo G da Copa.

A programação da semana e a decisão de Rogério Ceni em testar Bruno Viana ao lado de Arão no clássico, uma vez que Rodrigo Caio não poderá atuar no jogo contra o Vélez, evidenciaram isso no pré-clássico. Após a partida, o técnico enxergou ainda mais aspectos que servirão de lição para a estreia na Liberta.

- Temos que entender que temos coisas ainda a melhorar. O jogo foi abaixo do que todos esperavam. Os times argentinos são muito copeiros e competitivos como foi o Vasco hoje. Nós temos que tentar achar os espaços do jogo, analisar os vídeos depois com calma para ver quais foram os erros. Para mim, foram até bem identificáveis. Temos que melhorar no quesito da bola parada - afirmou.

No sistema defensivo , Rogério Ceni terá quatro dias para ajustar a sintonia entre Arão, Bruno Viana & Cia. No meio de campo, o retorno de Arrascaeta é aguardado para terça-feira, com o retorno de João Gomes ao banco de reserva.

Além dos aspectos táticos e técnicos, um bom desempenho na estreia na Libertadores passa pela questão emocional. O capitão Diego, contudo, afirmou que o resultado e a atuação diante do Vasco não terão impacto neste sentido.

- Não tem impacto. Estamos inconformados. Jogo importante, clássico, mas fomos ineficientes. alguns erros culminaram na derrota. Libertadores é outro torneio, e teremos 100% de concentração - afirmou o camisa 10 do Flamengo.