Ceni compreende vaias ao time e chama Rodrigo Caio de “gentleman”

Os jogadores do São Paulo foram vaiados em uníssono por mais de 45 mil torcedores na descida aos vestiários do Morumbi após a derrota por 2 a 0 para o Corinthians, neste domingo, pelo jogo de ida das semifinais do Campeonato Paulista. Situação essa compreendida pelo técnico Rogério Ceni, que ainda elogiou a reação de Rodrigo Caio ao ter livrado Jô de receber um cartão amarelo e ser suspenso para o duelo de volta.

“Em relação à manifestação da torcida no estádio, acho completamente natural. Ela quer a vitória do seu time, é completamente aceitável. Tenho total consciência de que o trabalho está sendo feito para o melhor do São Paulo”, refletiu o treinador, que não ficou ciente dos protestos de fora do Morumbi.

Sobre o lance polêmico envolvendo Jô, Rodrigo Caio e Renan Ribeiro, Ceni elogiou a atitude do zagueiro. Ainda no primeiro tempo, o goleiro tricolor saiu para dividir com o atacante e levou a pior. O árbitro Luiz Flávio de Oliveira entendeu como falta do corintiano, que acabou sendo advertido com cartão amarelo, o que lhe tiraria da partida do próximo domingo.

No entanto, logo em seguida, o camisa 3 do Tricolor admitiu ao juiz que fora ele quem havia atingido o próprio companheiro de equipe, livrando o adversário da punição. “O que o Rodrigo Caio falar está bem falado. Eu não sei direito o que aconteceu. Vi o Jô pressionando, mas acho que o Rodrigo pressionou o Renan. Foi um gentleman, vocês têm que parabenizar, uma grande atitude, é um menino bom”, avaliou.

Antes de tentar reverter a desvantagem em relação ao Corinthians, no próximo domingo, em Itaquera, o São Paulo buscará a reabilitação frente ao Cruzeiro, nesta quarta-feira, no Mineirão, pela quarta fase da Copa do Brasil. A exemplo do Paulista, o Tricolor precisa vencer o embate de volta por dois gols de diferença para levar a decisão aos pênaltis.