Ceni analisa derrota do Flamengo: 'Os erros que cometemos são grotescos para um time que quer ser campeão'

LANCE!
·2 minuto de leitura


Após a derrota do Flamengo para o Fluminense por 2 a 1, com o gol da virada tricolor nos acréscimos da etapa final, o técnico Rogério Ceni buscou dar explicações para o desempenho da equipe nesta quarta, em partida disputada no Maracanã. Segundo o técnico, o ataque do time produziu o suficiente para vencer, mas a bola "teimou em não entrar". E, além disso,, defensivamente, foram cometidos "erros grotescos para uma equipe que quer ser campeã".

- Em volume de jogo, o que nós criamos é suficiente para ganharmos jogos como o de hoje. Os erros que cometemos são grotescos para uma equipe que quer ser campeã - respondeu Ceni ao ser questionado se o Flamengo, sob o seu comando, vem apresentando um futebol para ser campeão do Brasileirão.

O Flamengo volta a campo no próximo domingo, dia 10 de janeiro. Pela 28ª rodada do Brasileirão, o Rubro-Negro recebe o Ceará no Maracanã, às 16h.

Com 49 pontos, o time de Rogério Ceni segue a sete pontos de distância do líder São Paulo, que perdeu para o Red Bull Bragantino nesta quarta e segue com 56 pontos. O Atlético-MG, que também tem 49, não atuou nesta rodada.

Na saída de campo, nesta quarta, o meia Arrascaeta deu uma forte declaração após a derrota de virada, dizendo que o time devia sair de campo com vergonha e que, daquela forma, a equipe não merecia ser campeão nacional.

O técnico Rogério Ceni foi questionado sobre a declaração e respondeu assim.

- Ele não se refere a maneira que o time jogou, e sim a maneira que sofremos os gols. Acho que é isso. Tenho que concordar com ele. Da forma que sofremos a virada... Mas do que o time produziu, tivemos ótimas chance de ampliar e o Fluminense veio para jogar bola na área de qualquer lugar, e assim conseguiu o primeiro gol, em uma falta. Sofrendo gols dessa maneira fica difícil, realmente.

Confira outras respostas do técnico Rogério Ceni, do Flamengo:

Queda no desempenho após o intervalo

Nós trabalhamos a semana inteira em alta intensidade, percorremos grandes distâncias, exceto no dia de ontem, é natural que se saia um pouco do primeiro para o segundo tempo. Mas não acho que tenha sido intensidade, e sim a falta de confiança após sofrer o primeiro gol. Você perde confiança, erra mais e propicia ao adversário oportunidade. No final, foi uma infelicdade de errar um passe e colocar um adversário na cara do gol, nos acréscimos, para definir a partida.

Repertório ofensivo e dificuldade para fazer gols

Uma coisa é falta de repertório, outra coisa é não finalizar. Com 19 finalizações não é falta de repertório. As bolas chegaram, bolas alçadas, tabelas, e o goleiro deles fez ótimas defesas. Treinar mais finalizações do que treinamos é impossível. Infelimente, a bola tem teimado em não entrar.