Cem dias sem jogar: relembre dados e estatísticas do Fluminense em 2020

Luiza Sá
LANCE!


Há 100 dias, o Fluminense entrava em campo pela última vez antes da paralisação causada pela pandemia do novo coronavírus. Na ocasião, o time comandado por Odair Hellmann venceu o Vasco por 2 a 0, com gols de Fernando Pacheco e Evanilson no Maracanã já sem público. Melhor ataque do Campeonato Carioca, o Tricolor é líder na colocação geral do Estadual, no entanto, está eliminado da Sul-Americana e perdeu no jogo de ida da Copa do Brasil.

O LANCE! relembra números e informações da campanha do Flu até a parada. Por conta do impasse do Carioca, ainda não se sabe quando o time irá voltar aos gramados.

ARTILHARIA
Para a segunda parte da temporada, o técnico Odair Hellmann ganhou o atacante Fred como reforço de peso. No entanto, o ataque era o setor que melhor vinha funcionando no Fluminense antes da paralisação. Foram 32 gols marcados em 15 jogos. Nenê, com nove, é o artilheiro.

Marcos Paulo e Evanilson tem cinco cada e o zagueiro Luccas Claro vem em seguida, com três. Gilberto e Wellington Silva marcaram duas vezes. Yago Felipe, Felippe Cardoso, Gabriel Capixaba, Nino, Hudson e Fernando Pacheco balançaram a rede uma vez.

Nas assistências, o jovem Miguel é quem mais apareceu, com três. Egídio, Nenê, Gilberto e Marcos Paulo tem duas cada. Hudson, Wellington Silva, Matheus Alessandro, Fernando Pacheco, Felippe Cardoso e Yago Felipe deram um passe para gol.

FORMADOS EM XERÉM
Como Odair rodou bastante o grupo e testou diferentes atletas, 11 jogadores criados pelo Fluminense tiveram oportunidade. Alguns já mais conhecidos, como Marcos Felipe, Digão, Igor Julião, Miguel, Pablo Dyego, Marcos Paulo, Wellington Silva e Matheus Alessandro. Além deles, Lucas Barcelos, Matheus Pato e Gabriel Capixaba também entraram em pelo menos uma partida.

BILHETERIAS
Em 13 jogos nesta temporada, o Tricolor somou R$ 1.618.738,01 de prejuízo. Em cinco destas partidas a equipe foi visitante, mas ajudou a arcar com os gastos (Cabofriense, Bangu e Vasco) ou dividiu o lucro (Flamengo e Moto Club). A média de público do Fluminense como mandante neste ano é de 16.255 pagantes. O maior foi no clássico contra o Flamengo na semifinal do Campeonato Carioca, que levou 53.571 pessoas que pagaram ingresso ao Maracanã. Em segundo vem a partida contra o Unión La Calera, pela Sul-Americana, com 16.528 pagantes.

No caso de jogos sem público, esse número pode aumentar. Contra o Vasco, na última rodada antes da paralisação, a partida representou uma despesa de R$ 235.589,42. O Flu, por ter preferido manter o jogo no Maracanã, apesar do mando do rival, arcou com R$ 207.966,28.
















APROVEITAMENTO
As 10 vitórias do Fluminense na temporada tiveram a grande ajuda do fator campo. Foi em casa que o Tricolor teve o melhor aproveitamento, com apenas uma derrota e um empate nas 10 partidas realizadas. Em dois desses jogos o Flu era visitante, contra Vasco e Flamengo.

Fora do Rio de Janeiro, a equipe tem um empate com o Unión La Calera no Nicolás Chahuán (CHI) e a derrota para o Figueirense no Orlando Scarpelli pelo jogo de ida da Copa do Brasil.

CONTRATOS ATÉ O FINAL DE 2020
Ao final desta temporada, o Fluminense precisará resolver questões contratuais com alguns de seus principais jogadores, como no caso de Nenê e Matheus Ferraz. Além dele, Caio Paulista, Diogo, Dodi, Orinho, Gabriel Capixaba, Henrique, Higor, Hudson, Lucas Barcelos, Luccas Claro, Matheus Alessandro, Matheus Pato, Matheus Cassini e Felippe Cardoso.

O atacante Wellington Silva, por enquanto, tem vínculo até julho. No entanto, já há um acordo verbal para a extensão do contrato. A pandemia do novo coronavírus acabou atrasando o acerto, mas o jogador falou, em entrevista ao L!, que era questão de tempo.

ESCALAÇÕES
Nos 15 jogos disputados, foram 30 jogadores utilizados e apenas duas repetições nas escalações. Primeiro, na vitória por 1 a 0 contra o Flamengo e depois no empate por 1 a 1 com o Unión La Calera, na Sul-Americana. Muriel; Gilberto, Digão, Luccas Claro e Egídio; Henrique, Hudson e Yago Felipe; Nenê, Miguel e Matheus Alessandro estavam naquele time.

Depois, nos clássicos contra o Botafogo, com vitória por 3 a 0, e em mais um com o Fla, na derrota por 3 a 2. Nas ocasiões, os escolhidos foram Muriel, Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique, Yuri e Nenê; Wellington Silva, Marcos Paulo e Evanilson. Veja todas as escalações do Fluminense:

Cabofriense 0x1 Fluminense - Elcyr Resende - Taça Guanabara
Marcos Felipe, Gilberto, Matheus Ferraz, Luccas Claro e Orinho; Yuri (Pablo Dyego), Hudson, Dodi e Nenê; Lucas Barcelos (Matheus Alessandro) e Felippe Cardoso (Miguel).

Fluminense 2x0 Portuguesa - Maracanã - Taça Guanabara
Marcos Felipe, Gilberto (Igor Julião), Matheus Ferraz, Luccas Claro e Orinho; Hudson, Dodi e Nenê; Matheus Alessandro (Pablo Dyego), Lucas Barcelos e Felippe Cardoso (Miguel)

Bangu 1x5 Fluminense - Moça Bonita - Taça Guanabara
Muriel, Igor Julião, Digão, Luccas Claro e Orinho; Henrique, Yago Felipe (Gabriel Capixaba) e Dodi; Matheus Alessandro, Lucas Barcelos (Fellipe Cardoso) e Miguel (Matheus Pato)

Flamengo 0x1 Fluminense - Maracanã - Taça Guanabara
Muriel; Gilberto, Digão, Luccas Claro e Egídio; Henrique, Hudson (Dodi) e Yago Felipe; Nenê, Miguel (Felippe Cardoso) e Matheus Alessandro (Lucas Barcelos)

Fluminense 0x1 Boavista - Maracanã - Taça Guanabara
Muriel; Gilberto, Digão, Matheus Ferraz e Orinho; Yuri (Matheus Alessandro), Hudson e Gabriel Capixaba (Michel Araújo); Yago, Miguel e Felippe Cardoso (Nenê)

Fluminense 1x1 Unión La Calera - Maracanã - Sul-Americana
Muriel, Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique, Hudson, Yago Felipe (Marcos Paulo), Matheus Alessandro (Evanilson), Miguel (Michel Araújo); Nenê

Fluminense 3x0 Botafogo - Maracanã - Taça Guanabara
Muriel, Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique, Yuri (Fernando Pacheco) e Nenê (Ganso); Wellington Silva (Caio Paulista), Marcos Paulo e Evanílson

Fluminense 2x3 Flamengo - Maracanã - Taça Guanabara
Muriel, Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique (Ganso), Yuri e Nenê; Wellington Silva (Fernando Pacheco), Marcos Paulo (Caio Paulista) e Evanílson

Unión La Calera 0x0 Fluminense - Nicolás Chahuán - Sul-Americana
Muriel; Gilberto, Luccas Claro, Digão e Egídio; Henrique (Matheus Alessandro), Yuri e Nenê; Caio Paulista (Michel Araújo), Evanilson e Marcos Paulo (Ganso)

Moto Clube 2x4 Fluminense - Castelão - Copa do Brasil
Muriel, Gilberto, Nino, Digão e Egídio; Henrique, Yuri (Ganso), Nenê; Wellington Silva (Yago Felipe), Fernando Pacheco (Marcos Paulo) e Evanilson

Fluminense 5x1 Madureira - Maracanã - Taça Rio
Muriel, Igor Julião, Nino, Digão e Egídio; Yuri (Miguel), Hudson e Yago Felipe; Marcos Paulo, Wellington Silva (Caio Paulista) e Evanílson (Fernando Pacheco)

Fluminense 2x0 Botafogo-PB - Maracanã - Copa do Brasil
Muriel, Gilberto, Nino, Digão (Matheus Ferraz) e Egídio; Hudson, Yago Felipe e Nenê (Ganso); Wellington Silva (Fernando Pacheco), Marcos Paulo e Evanilson

Fluminense 4x0 Resende - Maracanã - Taça Rio
Muriel, Gilberto, Nino, Matheus Ferraz e Orinho; Hudson (Dodi), Yago Felipe e Nenê (Miguel); Wellington Silva, Fernando Pacheco e Marcos Paulo (Ganso)

Figueirense 1x0 Fluminense - Orlando Scarpelli - Copa do Brasil
Muriel, Gilberto (Igor Julião), Nino, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson, Yago Felipe e Nenê; Wellington Silva (Ganso), Marcos Paulo (Fernando Pacheco) e Evanilson

Vasco 0x2 Fluminense - Maracanã - Taça Rio
Muriel; Igor Julião, Nino, Matheus Ferraz e Egídio; Hudson , Yago e Nenê; Wellington Silva (Caio Paulista) , Evanilson (Ganso) e Marcos Paulo (Fernando Pacheco)



























































Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também