Celso Barros critica 'mesmice' no futebol do Fluminense e diz: 'Só os amigos do Rei são escolhidos'

LANCE!
·3 minuto de leitura


Afastado há mais de um ano do cargo de vice-presidente do Fluminense, Celso Barros usou as redes sociais para voltar a alfinetar a gestão de Mário Bittencourt e criticar o trabalho de Marcão. A postagem foi feita por conta da derrota do Flu por 2 a 1 para o Atlético-GO, na quarta-feira, pelo Campeonato Brasileiro.

- Neste aspecto atualmente o Flu parece um time de passagem. O próprio Odair e alguns jogadores chegam, tem algum brilho e deixam o Fluminense rapidamente, tentando valorização financeira e também de crescimento na carreira, como se não fossemos um dos maiores clubes do Brasil. Estaríamos nós vivendo uma crise de credibilidade? Ao mesmo tempo os jogadores jovens são rapidamente valorizados e vendidos, não trazendo para o clube resultados efetivos quanto a conquista de títulos no futebol profissional - escreveu Celso Barros.

VEJA A TABELA DO CAMPEONATO BRASILEIRO

- Do outro lado, jogadores com idade mais avançada declaram a todo momento que adorariam encerrar a carreira no Fluminense. E com todo respeito a eles, também não trazem nenhum beneficio, em relação ao aspecto técnico. É claro que em toda regra, existem exceções. Enfim, o futebol do Flu continua a mesma mesmice. Não há ousadia. Só os amigos do Rei são escolhidos - completou.

Celso Barros tem se manifestado frequentemente através das redes para criticar Mário. Marcão, inclusive, foi o personagem da divergência entre os dois dirigentes que culminou no afastamento do ex-presidente da Unimed. Em novembro do ano passado, Barros defendia a demissão do ídolo tricolor e Bittencourt bancou o trabalho.

Veja a publicação na íntegra:

"Há dois jogos, Marcão fez a sua reestreia como técnico do Flu.

Infelizmente os resultados não foram bons. Disputamos 6 pontos e conquistamos 1. Aproveitamento de 17%.

Que é inferior ao do último colocado na tabela (27%).

Ele que teve o melhor aproveitamento entre os técnicos que dirigiram o time em 2019 e mesmo assim não foi mantido. Será que o presidente não confiava no seu trabalho?

Então, de forma rápida foi contratado o Odair Hellmann que abandonou o barco, faltando ainda 14 jogos para o término do campeonato.

Dizem até, que a direção se apressou na contratação, porque algumas pessoas falavam o nome do técnico Ariel Holan.

E aí retorna o Marcão para tentar manter o bom aproveitamento no Brasileirão, único resultado do ex-técnico positivo até o momento.

Neste aspecto atualmente o Flu parece um time de passagem. O próprio Odair e alguns jogadores chegam, tem algum brilho e deixam o Fluminense rapidamente, tentando valorização financeira e também de crescimento na carreira, como se não fossemos um dos maiores clubes do Brasil. Estaríamos nós vivendo uma crise de credibilidade?

Ao mesmo tempo os jogadores jovens são rapidamente valorizados e vendidos, não trazendo para o clube resultados efetivos quanto a conquista de títulos no futebol profissional.

Do outro lado, jogadores com idade mais avançada declaram a todo momento que adorariam encerrar a carreira no Fluminense. E com todo respeito a eles, também não trazem nenhum beneficio, em relação ao aspecto técnico.

É claro que em toda regra, existem exceções.

Enfim, o futebol do Flu continua a mesma mesmice. Não há ousadia. Só os amigos do Rei são escolhidos.

O Fluminense somos todos nós!!!
"