Celso Barros cita Ganso 'um pouco melhor' no Fluminense, critica Mário e pede: 'Renúncia seria interessante'

Celso Barros está afastado do Fluminense desde 2019 por divergências com Mário (Foto: Lucas Merçon/Fluminense FC)


O Fluminense atravessa a primeira grande crise na temporada por conta das atuações ruins. Quem aproveitou o momento para tecer críticas ao time e à diretoria foi Celso Barros, vice-presidente eleito e afastado pelo presidente Mário Bittencourt desde 2019. Através do Instagram, o ex-mandatário da Unimed Rio avaliou o rendimento da equipe nas últimas partidas. Na terça-feira, o Tricolor empatou com o Unión Santa Fe (ARG) por 0 a 0 no Maracanã.

+ Cruzeiro vai construir arena? Veja os projetos de novos estádios dos clubes brasileiros

- Resumo da Ópera!!! O Flu após não conseguir a classificação para a fase de grupos da Libertadores, conquistou o Cariocao de forma justa contra o Flamengo. Em diversos posts, eu dizia que esse era o título mais fácil de ser conquistado e o menos importante em relação as demais competições que estamos disputando este ano. Entretanto, o nosso primeiro jogo da Copa do Brasil, foi horroroso. Perdíamos de 2, do Vila Nova, que atualmente é o 15º colocado na série B, e viramos o jogo, em que o adversário reclamou fortemente da arbitragem. Também na “série B” da Conmebol, tomamos de 3 do Júnior Barranquilla, e ontem fizemos um jogo muito ruim contra o Santa Fe.

- O Brasileirão está muito no início, mas estamos na 13ª colocação e os dois próximos jogos serão contra o Coritiba e o Palmeiras, ambos fora de casa. Lembro que a nossa única vitória, foi sobre o Cuiabá, graças a um gol contra do zagueiro Paulão, nos acréscimos do jogo. O Flu comprou um lateral esquerdo por um valor alto e trouxe outro por empréstimo, e depois os nossos notáveis profissionais do futebol, descobriram que o melhor era o que tínhamos em casa. Na minha opinião nenhuma das opções acima estão corretas - escreveu.

Veja a tabela da Sul-Americana

​Barros também aproveitou para falar sobre Paulo Henrique Ganso, conhecido desafeto de quando estava no comando do futebol do clube. O dirigente já chegou a chamar o camisa 10 de "sonso" e usa frequentemente as redes para falar sobre o clube, normalmente alfinetando Mário Bittencourt. Os dois tiveram diversas divergências antes do afastamento, que foi culminado em novembro de 2019, quando Barros defendia a demissão de Marcão e Bittencourt bancou o trabalho.

- Outro fato interessante é acreditarmos que o Ganso, que está um pouco melhor do que nos anos anteriores, será uma solução para o nosso time. Como falam hoje os especialistas no futebol, falta a ele intensidade no jogo. É um balão aqui, uma enfiada de bola entre as pernas do adversário acolá, e um lindo toque de calcanhar, que as vezes arma o contra-ataque dos adversários. Críticas ao Abel, também são feitas. Mas o grande responsável por tudo isto é o presidente do clube, Mário Bittencourt.

- Ele mantém em outros postos profissionais importantes do futebol, o mesmo executivo e o chefe do scout, nomes que vieram da gestão Abad. Sua forma absolutista de comandar o clube e o futebol, nos fazem ter muita preocupação com o futuro do Flu. Mas reitero o meu pensamento, que a única alternativa hoje viável, será derrotá-lo nas eleições que ocorrerão em novembro de 2022, caso ele se candidate à reeleição. Claro que a sua renúncia, seria bem interessante, para uma reformulação imediata. Viva o Flu!!! - completou.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos