Ceará vence o Fortaleza no Clássico-Rei e faz Tricolor do Pici ligar o alerta do Z-4

Futebol Latino
·4 minuto de leitura


No sétimo e último clássico cearense de 2020, Fortaleza e Ceará mediram forças pelas 26ª rodada do Brasileirão, na Arena Castelão. Assim como no primeiro turno, quem levou a melhor no duelo foi o Vozão, que bateu os rivais por 2 a 0 e se afastou ainda mais da zona de perigo. Já o Tricolor do Pici ligou o sinal de alerta quanto ao Z-4.

O Vozão chegou aos 35 pontos conquistado em 26 rodadas e subiu para a nona colocação. A equipe, porém, pode cair na tabela caso o Corinthians vença o Goiás na partida agendada para segunda-feira.

Enquanto isso, o Fortaleza permanece com seus 30 pontos e caiu para a 14ª posição. Com a vitória do Vasco hoje (20), o Tricolor está atento já que os cariocas chegaram aos 28 pontos sendo o primeiro time do Z-4.

Na próxima rodada, o Fortaleza vai enfrentar o Flamengo no sábado (26), novamente no Castelão. Enquanto isso, o Ceará vai até a Vila Belmiro duelar contra o Santos, jogo marcado para o domingo (27).

PRIMEIRO TEMPO DE PÊNALTI PERDIDO E PRESSÃO DO VOZÃO

Um dos maiores clássicos do país começou de forma lenta. Muito tempo parado por faltas, lesões ou bolas paradas, enquanto as chances de gols seguia fraca. A primeira oportunidade clara de gol só chegou aos 12 minutos, que recebeu dentro da área e chutou com perigo por cima da meta. No minuto seguinte, pênalti para o Ceará em que Jackson derrubou Cléber dentro da área. Artilheiro e destaque do Vozão, Vina cobrou forte no canto direito e Felipe Alves defendeu magistralmente.

O Ceará era quem ficava mais com a bola e ameaçava o Fortaleza, que se defedia bem ou contava com Felipe Alves para salvar, igual aos 24 minutos em novo chute de Vina que o arqueiro se jogou e evitou o gol. Dez minutos mais tarde, Cléber aproveitou a desorganização na defesa do Fortaleza e chutou. Novamente Felipe Alves estava lá para pegar. Desde o pênalti cometido, o Tricolor ficou pouco no campo de ataque.

Um resumo do primeiro tempo foi com um Fortaleza em sua maior parte acuado e dependendo de Felipe Alves para evitar ao menos três gols. Por parte do Ceará, Vina foi destaque nos arremates errados. Além do pênalti, ele ainda arrematou para fora duas vezes e viu Felipe Alves salvar novamente.

SEGUNDO TEMPO

Toda pressão do Ceará colocada no primeiro tempo foi convertida em gol logo no primeiro minuto da etapa final. Lima tabelou com Vina, puxou uma arrancada desde o meio-campo, invadiu a área e colocou no ângulo de Felipe para abrir o placar. O Vozão seguia ameaçando o rival e aumentou o placar antes dos 10 minutos. Vina arrancou, tocou para Cléber, o camisa 89 ajeitou e mandou um balaço para o fundo das redes.

Após os tentos sofridos, Chamusca colocou três jogadores de ataque para tentar mudar a postura de seu time: Oswaldo, Bergson e Mariano Vázquez entraram. Mas a desorganização do time do Fortaleza permaneceu e as principais jogadas de perigo vieram de bola parada, pois na tentativa de construção de jogadas a defesa do Vozão levava a melhor.

O jogo começou a ter muita vontade excessiva dos dois lados, inclusive com um choque de cabeça que o jogo ficou quase cinco minutos parado. Sem grandes chances dos dois lados, o clássico ficou faltoso e rolou até um vermelho direto para Felipe, que deu uma entrada perigosa e foi expulso. Sobrou tempo até para um último ataque em que Gabriel Dias chutou e Richard salvou bem.

FICHA TÉCNICA
FORTALEZA 0 x 2 CEARÁ

Local: Arena Castelão, Fortaleza (CE)
Data e hora: 20/12/2020 - 20h30
Árbitro: Anderson Daronco
Assistentes: Rafael da Silva Alves e Michael Stanislau, trio do RS
VAR: Jean Pierre Gonçalves - RS
Cartões amarelos: Léo Chú (30'/2ºT), Yuri César (42'/2ºT)
Cartões vermelhos: Juninho (50'/2ºT)
Gols: Lima (2'/2ºT), Cléber (9'/2ºT)

FORTALEZA: Felipe Alves; Tinga (Gabriel Dias, aos 42'/2ºT), Jackson, Paulão e Bruno Melo; Juninho, Felipe e Romarinho (Mariano Vásquez, aos 3'/2ºT); Yuri César (Osvaldo, aos 10'/2ºT), Wellington Paulista (Bergson, aos 9'/2ºT) e David (João Paulo, aos 28'/2ºT). Técnico: Marcelo Chamusca.

CEARÁ: Richard; Samuel Xavier, Tiago (Klaus, aos 39'/2ºT), Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Fabinho, Fernando Sobral, Lima, Vina (Mateus Gonçalves, aos 38'/2ºT) e Léo Chú (Charles, aos 30'/2ºT); Cléber (Saulo Mineiro, aos 23'/2ºT). Técnico: Guto Ferreira.