Ceará bate o CSA e mantém invencibilidade na Copa do Nordeste

Futebol Latino
·4 minuto de leitura


Entrando em campo na Arena Castelão, com o peso de serem as únicas duas equipes que, até então, não haviam perdido na competição, Ceará e CSA fizeram um jogo bastante movimentado. Mas foi o Vozão que levou a melhor. Com seus tentos marcados um em cada etapa, a equipe da casa bateu o rival pelo placar de 2 a 0.

Sendo assim, o time comandado por Guto chegou aos 10 pontos, ficando na terceira colocação do Grupo A. Já o time de Mozart, com o tropeço fora de casa, ficou na vice-liderança com 9 pontos, porém do Grupo B.

CEARÁ INICIA MELHOR O DUELO E CSA TEM DUAS BAIXAS

Nos primeiros minutos, a equipe da casa não quis saber de ceder espaços ao rival e foi pra cima conseguindo criar algumas situações de perigo com Saulo, Mendoza e companhia. Já pelo lado do CSA, que tentava afastar o perigo do jeito que podia, o técnico Mozart ainda acabou tendo que substituir Crtistovam e Thiago Rodrigues antes dos 10 minutos, pois ambos acabaram saindo lesionados de campo.

VOZÃO ABRE A CONTAGEM NA ARENA

Seguindo melhor em campo, os comandados de Guto, aos 18 minutos, conseguiram marcar o primeiro tento no jogo. Após tentativas anteriores, o colombiano Mendoza, após receber no meio, conseguiu fazer o corte na jogada e mandou para o fundo das redes de Darley. 1 a 0.

AZULÃO TENTAVA FICAR COM MAIS POSSE DE BOLA, MAS NÃO FINALIZAVA

Em desvantagem no marcador, a equipe visitante então passou a optar por tentar mais com a posse de bola em determinados períodos até o final da etapa. Porém, mesmo conseguindo, eram poucos os lances que assustavam o setor defensivo do Ceará que, por sua vez, mostrava firmeza em não deixar o adversário entrar em sua área mantando o resultado parcial sem alterações.

COMEÇO DE SEGUNDO TEMPO COM EQUILÍBRIO

Com Mozart mudando sua equipe ao tirar Vitor Costa e colocar Tito em seu lugar, o CSA parece ter retornado com uma postura mais ofensiva. E quase surtiu efeito. Aos 5 minutos, após jogada ensaiada, a bola foi cruzada de Marquinhos para Rodolfo Filemon que, por sua vez, quase conseguiu igualar tudo.

No lance seguinte, o Vozão devolveu na mesma moeda. Em descida com velocidade de Mendoza, a bola foi cruzada para Vina, mas o camisa 29 também acabou mandando a bola para fora.

EQUIPE VISITANTE PRESSIONA EM BUSCA DO SEU TENTO

Com Mozart alterando mais sua equipe, o CSA ainda chegou mais duas vezes com perigo ao seu campo de ataque, mandando até uma bola na trave com Marco Túlio, além de Dellatorre ter conseguido dar trabalho ao goleiro Richard, porém o impedimento acabou sendo flagrado na jogada.

VIZEU AMPLIA E DÁ NÚMEROS FINAIS AO JOGO

Ao entrar no lugar de Saulo Mineiro, além de algumas outras modificações por parte de Guto, aos 42 minutos, Felipe Vizeu conseguiu aumentar o marcador. Após cruzamento de Mendoza, a bola passou pela marcação, sobrando para o camisa 11 marcar. 2 a 0.

No lance seguinte, uma confusão instaurou-se em campo. Em um lance de falta de Rick em cima de Silas, as comissões dos dois times começaram a discutir, com direito a cartão vermelho para Dênis, por parte do CSA. E quem pensa que parou por ai, pensou errado. Momentos depois, Rick voltou a fazer uma falta dura desta vez em Pimpão, recebendo o vermelho e, com vantagem numérica, a equipe de Mozart ainda mandou a bola na trave aos 50, com Iury, sendo esse o último lance de perigo antes do término do confronto na Arena Castelão.

FICHA TÉCNICA
CEARÁ x CSA - 7ª RODADA DA COPA DO NORDESTE
Estádio: Arena Castelão, em Fortaleza (CE)
Data: 30 de março de 2021, às 19h30 (de Brasília)
Árbitro: Marielson Alves Silva (CBF-BA)
Assistentes: Elicarlos Franco de Oliveira (CBF-BA) e Luanderson Lima dos Santos (CBF-BA)
Cartões amarelos: Bruno Pacheco, Richard e Rick (CEA) / Marco Túlio e Marquinhos (CSA)
Cartões vermelhos: -

GOLS: Mendoza, 18'/1ºT (1-0); Felipe Vizeu, 42'/2ºT (2-0).

CEARÁ (Técnico: Guto Ferreira)
Richard; Gabriel Dias (Eduardo, 28'/2ºT), Messias, Luiz Otávio e Bruno Pacheco; Charles (Pedro Naressi, aos 40'/2ºT), Oliveira e Vina (Rick, aos 40'/2ºT); Mendoza, Saulo (Felipe Vizeu, aos 39'/2ºT) e Cléber (Marlon, 27'/2ºT).

CSA (Técnico: Mozart)
Thiago Rodrigues (Darley, aos 7'/1ºT); Cristovam (Marquinhos, aos 2'/1ºT), Rodolfo Filemon, Lucão e Vitor Costa (Tito, no intervalo); Geovane (Ítalo, aos 28'/2ºT), Silas e Rodrigo Pimpão; Marco Túlio (Silvinho, aos 29'/2ºT), Iury e Dellatorre.