CBVela divulga balanço bimestral com atendimento a mais de 60 atletas da nova geração

  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.
Projeto da CBVela é voltado para desenvolvimento de atletas jovens na base do Rio de Janeiro (Foto: Divulgação)
Neste artigo:
  • Opa!
    Algo deu errado.
    Tente novamente mais tarde.


A Confederação Brasileira de Vela (CBVela) atendeu mais de 60 atletas da nova geração da modalidade no último bimestre em eventos pelo país e no exterior, além de treinamentos na Marina da Glória, no Rio de Janeiro (RJ), e no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ). O trabalho é voltado para que os competidores mais novos cheguem bem preparados em campeonatos de ponta, como os Jogos Olímpicos de Paris 2024, Los Angeles 2028 e Brisbane 2032.

+ Filipe Toledo luta, mas cai nas oitavas de final em Margaret River por apenas três centésimos

Todos os treinos e competições envolvendo a Vela Jovem foram supervisionados pelos treinadores da CBVela nas categorias Adulta, Sub-23 e Sub -19 com foco na preparação nas categorias ILCA 6, 49erFX e 49er. Os atletas de outras classes como iQFoil, Nacra e 470 misto também participaram das atividades nos meses de março e abril de 2022.

Em março, por exemplo, foi realizada a primeira edição de 2022 do Training Camp da CBVela no Clube Naval Charitas, em Niterói (RJ). Os escolhidos para o trabalho técnico foram os representantes da Equipe Brasileira de Vela que irá para o Mundial da Juventude da Haia 2022. O grupo de 36 atletas sub-19 era de diferentes categorias do programa das categorias de base indicado pela World Sailing, a Federação Internacional da Vela.

A atividade foi dividida em palestras, avaliações, medições e treinos de regata. Além disso, o training camp ofereceu o suporte do Laboratório Olímpico, realizando avaliações funcionais e de mobilidade em todos atletas da seleção brasileira de base.

Outro projeto que ofereceu treinamento e consultoria à Vela Jovem foi o Núcleo de Alto Rendimento, uma parceria da Confederação Brasileira de Vela (CBVela) com a Secretaria Especial do Esporte do Ministério da Cidadania para apoiar a preparação de todas as equipes brasileiras da modalidade em suas categorias de base.

- A CBVela continua a trabalhar forte ao lado da Secretaria Nacional do Esporte e a Secretaria Especial de Alto Rendimento fornecendo treinamento para atingir os objetivos da vela jovem visando os Jogos de Paris 2024. O apoio do COB também foi fundamental, não somente para que a nova geração tenha cada vez mais aprendizado e experiência na modalidade, mas também para que as principais equipes de nossa modalidade estejam com as ferramentas necessárias para se manter no alto nível. Estamos contentes com o rendimento dos atletas nos treinamentos de excelência realizados no Rio de Janeiro e nas competições - explicou Juan Sienra, gerente técnico da CBVela.

A sede oficial do projeto é a Marina da Glória, palco das regatas da Rio 2016 e de outros grandes eventos da vela. Por lá são atendidos 30 adolescentes entre 13 e 17 anos, que integram as seleções para os principais campeonatos, como o Mundial da Juventude da World Sailing.

Resultados expressivos

E os resultados também acompanharam o investimento nas novas modalidades. No início de março, Mateus Isaac foi ouro no International iQFoil Games, em Lanzarote, na Espanha, junto com a jovem Giovanna Prada, que finalizou na 13ª colocação.

Foi concluída também a participação da Equipe Brasileira no Campeonato Sul-Americano de ILCA 7 e ILCA 6 no Yacht Club Punta del Este, no Uruguai, onde o Brasil fez uma excelente performance conquistando a medalha de prata na categoria olímpica adulta ILCA 7 com Bruno Fontes, e a dobradinha na categoria Sub- 21 com Felipe Fraquelli como campeão e Erick Carpes em segundo lugar. Na classe ILCA 6, a mesma dobradinha da versão 7.

Depois foi a hora da disputa do tradicional Troféu S.A.R. Princesa SofÍa das categorias olímpicas, onde a equipe apresentou uma grande renovação de nomes e incluindo a participação de três atletas femininas Sub-23 do programa de vela jovem. A dupla de Martine Grael e Kahena Kunze finalizou com a medalha de prata e o sexto colocado na categoria iQFoil por parte de Mateus Isaac. A equipe teve boa performance na Nacra 17 e 470 misto junto com iQFoil feminino.

A CBVela também em 2021 assinou sua filiação na Rede Nacional de Treinamento com objetivo de criar um caminho para o atleta desde a sua entrada na modalidade até chegar ao topo do alto desempenho.

Na vela jovem, as categorias mais praticadas são Optimist, dos 7 aos 15 anos, 420, 29er e Laser. Todas versões 'mais leves' das classes utilizadas nos calendários dos Jogos Olímpicos, por exemplo.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos