CBF revoga resolução, e apenas a comissão de ética irá avaliar o afastamento de Rogério Caboclo

·1 minuto de leitura


A Confederação Brasileira de Futebol (CBF) revogou a própria decisão, definida na quinta-feira (1), de decretar o afastamento do presidente da CBF, Rogério Caboclo, por mais 60 dias. A informação foi primeiramente divulgada pelo portal UOL.

ATUAÇÕES: Paquetá e Neymar se destacam na vitória do Brasil diante do Peru

Apesar disso, o mandatário não voltará ao comando da organização. Como a comissão de ética do órgão ampliou por conta própria o afastamento compulsório de Caboclo por mais 60 dias, a CBF voltou atrás na própria decisão. A nova contagem começou na segunda-feira (5).

SIMULE OS DOIS ÚLTIMOS JOGOS E APONTE O CAMPEÃO DA COPA AMÉRICA

A decisão da CBF de quinta-feira (1), o grupo se baseou no artigo 143 do estatuto para bater o martelo sobre o caso: "Nos casos de urgência comprovada, a Diretoria da CBF poderá afastar, em caráter preventivo, qualquer pessoa física ou jurídica direta ou indiretamente vinculada à CBF que infrinja ou tolere que sejam infringidas as normas constantes deste Estatuto ou do Estatuto da Fifa ou da Conmebol, bem como as normas contidas na legislação desportiva e nos regulamentos da CBF", define o trecho estatutário.

Rogério Caboclo está afastado desde o dia 6 de junho, devido às acusações de assédio moral a uma funcionária da CBF.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos