Pênalti contra o Bahia foi a gota d'água para Gaciba. CBF precisa definir critérios para os árbitros

·1 min de leitura
Gaciba foi dispensado do comando da arbitragem nacional, após muitos erros dos árbitros na Série A do Brasileiro. Foto: Site da Cbf

Leonardo Gaciba foi demitido pela CBF. O ex-árbitro e chefe da Comissão Nacional não aguentou tantas críticas e erros dos apitadores. A gota d'água da sua gestão foi a troca do árbitro de Flamengo x Bahia, um dia antes, com um árbitro que havia apitado Grêmio x Fluminense, na terça-feira. O pênalti vergonhoso marcado por Vinícius Dias Araújo contra o Bahia, brigando com a imagem do VAR, explodiu o departamento. 

A decisão de Vinícius deixou as teorias das conspirações em debates, pela decisão inusitada, num momento delicado do setor, na Série A do Brasileiro. Afinal, nenhuma rodada passa em branco com erros claros dentro de campo e corroborados por quem está no VAR e vice-versa. 

Agora, não adianta trocar Gaciba por Alício Pena Jr., um ex-árbitro que era criticado semanalmente. É preciso definir um padrão de critérios estabelecidos para lances bem objetivos. Se não houver um direcionamento para isso, continuaremos vendo decisões e atitudes complexas, de acordo com o tamanho dos times envolvidos e com as pressões existentes nos bastidores e redes sociais. 

A cúpula da CBF precisa entender que a arbitragem deve ser transparente e rápida nos esclarecimentos, ou pela chefia ou pelos próprios árbitros, após as partidas. A entidade tem que acabar com a "caixa-preta" do setor. Já passou da hora há muito tempo, deixando a credibilidade das competições em xeque. 

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos