CBF pede que STJD investigue denúncia de racismo feita pelo meia Gerson, do Flamengo

LANCE!
·2 minuto de leitura


Através de nota divulgada na noite de domingo (veja abaixo), a Confederação Brasileira de Futebol (CBF) solicitou uma "abertura imediata" para que o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) investigue a denúncia feita após o apito final no Maracanã pelo meia Gerson, do Flamengo.

> Quem fica com título? Simule os jogos do Brasileirão

Após a vitória do Flamengo sobre o Bahia por 4 a 3, em jogo válido pela 26ª rodada do Brasileiro, Gerson trouxe um desabafo a respeito de uma injúria racial proferida por Índio Ramírez, meia colombiano do Tricolor.

- Tenho muitos jogos como profissional e nunca vim falar nada porque nunca sofri esse preconceito. Quando tomamos um gol, o Bruno Henrique ia chutar uma bola, o Ramirez reclamou e fui falar com ele, que disse: "Cala a boca, negro". E o Mano precisa aprender a respeitar as pessoas - falou Gerson, ao canal "Premiere", emendando:

- Venho falar em nome de todos os negros.

> Veja tudo que rolou no mercado da bola no fim de semana

Na súmula da partida ocorrida no Maracanã, o árbitro Flávio Rodrigues de Souza (Fifa-SP) relatou sobre o ocorrido entre Gerson e Índio Ramírez:

- Aos 7 minutos do segundo tempo houve um conflito entre os jogadores sr. Gerson Santos da Silva, de número 8 da equipe do Flamengo e do atleta da equipe do Bahia de numero 15 sr. Juan Pablo Ramírez Velasquez, onde o jogador do Flamengo alega ter sido chamado de "negro" por seu adversário mencionado. Informo que este suposto ato não foi percebido por nenhum membro da equipe de arbitragem no campo de jogo.

Confira a nota da CBF:

A CBF está solicitando à Procuradoria do Superior Tribunal de Justiça Desportiva a abertura imediata de uma investigação sobre a denúncia de racismo feita pelo jogador Gerson Santos, do Clube de Regatas do Flamengo, na partida deste domingo (20/12) diante do Esporte Clube Bahia, pela 26ª rodada do Campeonato Brasileiro. A entidade encaminhará ao STJD a súmula da partida, na qual consta o relato da denúncia feita pelo atleta. A CBF reitera seu profundo repúdio ao racismo.

Rogério Ceni e Gerson
Rogério Ceni e Gerson

Ceni e Gerson em ação (Foto: Alecandre Vidal/Flamengo)