CBF obriga times a contratar um executivo de futebol nas Séries A e B, em 2020

Yahoo Esportes
Gerente de Futebol Cicero Souza e Felipão. (Foto: Guilherme Rodrigues/Futura Press)
Gerente de Futebol Cicero Souza e Felipão. (Foto: Guilherme Rodrigues/Futura Press)

No dia 06 de setembro, o blog fez uma postagem perguntando sobre a real importância de um executivo nos departamentos de futebol dos times brasileiros.

SIGA O YAHOO ESPORTES NO INSTAGRAM

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O assunto causou repercussão entre os profissionais do futebol e o blog foi convidado por Cícero Souza, gerente de futebol do Palmeiras e presidente da ABEX(Associação Brasileira dos Executivos), para entender mais a respeito dos trabalhos executados por eles.

Leia também:

Durante quase três horas, Cícero mostrou ao blog toda a metodologia de trabalho e a responsabilidade que um executivo deve ter em várias áreas do futebol. Resumindo bem, algo muito distante de apenas contratar jogadores e técnicos. Para Cícero, as atribuições são enormes e fundamentais no organograma de um clube. Confira abaixo, as principais atividades exercidas por eles.

-Ser o elo técnico entre vestiário e presidência;

-Definir comissão técnica;

-Dar as condições de trabalho nas áreas de saúde e análises de desempenhos;

-Representatividade em Congressos Técnicos;

-Definir as políticas de categorias de base(qualificação de profissionais, competições a serem disputadas, parcerias de direitos econômicos, pólos formadores parceiros);

-Criar processos nos setores de registros e logística;

-Interagir nas estratégias com departamentos de Comunicação, Marketing, Financeiro e Jurídico;

-Montagem do elenco;

-Visualizar estrategicamente o calendário de jogos com brevidade;

-Gerenciar o orçamento do futebol;

-Respeitar e cumprir as regulamentações específicas(Lei Pelé, Regulamentos das competições, regulamento de Licença de Clubes, regulamento de registros, Datas Fifa, Janelas de transferências, Mecanismo de Solidariedade, Clube Ponte);

-Controle do Regulamento Interno;

-Monitorar os atletas emprestados e os da Base;

-Gerenciar egos e conflitos;

-Estipular metas e indicadores de avaliação(prazos de registros, recuperações de lesões, números de convocados, etc.).

A visita fez o blog observar que há uma visão equivocada de grande parte da imprensa esportiva e torcedores, a respeito das funções do executivo. Se em anos anteriores, o conselheiro que virava dirigente pensava apenas no time, agora o espectro é muito maior e é preciso um especialista para comandar o principal setor de um grande clube.

A CBF, valorizando o seu curso de executivos, já protocolou no seu Registro de Licenças, que haverá a obrigação de um executivo em todos os times das Séries A e B, em 2020. A partir de 2021, a obrigatoriedade será estendida também para a Série C.

Siga o Yahoo Esportes: Twitter | Instagram | Facebook | Spotify | iTunes | Playerhunter

Leia também