CBF nega sobrecarga de treinos após novo caso de lesão muscular

Yahoo Esportes
Andressa Alves está fora da Copa do Mundo (Tim Clayton/Corbis/Getty Images)
Andressa Alves está fora da Copa do Mundo (Tim Clayton/Corbis/Getty Images)

A seleção brasileira feminina sofreu mais uma baixa. A CBF anunciou nesta terça-feira (18) que Andressa Alves teve uma lesão muscular na coxa esquerda, e segundo publicação feita pela jogadora no Instagram, ela não será baixa apenas no jogo decisivo com a Itália: está fora da Copa do Mundo.

Preocupa que Andressa Alves seja a quinta jogadora a ter uma lesão do tipo desde que o grupo se apresentou para a preparação para o Mundial, dia 22 de maio. Com exceção de Adriana, que se machucou enquanto comemorava um gol pelo Corinthians e foi cortada horas após o anúncio da lista por Vadão, todas as outras jogadoras cortadas tiveram problemas nos músculos.

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

A primeira foi a lateral Fabi Simões. Recém-recuperada de uma lesão no joelho, ela já estava jogando normalmente e chegou a marcar um gol no jogo entre Santos e Internacional a dois dias da viagem, mas acabou cortada durante a preparação em Portugal por lesão muscular na coxa direita.

Ainda em Portugal, Érika, Marta e Luana passaram alguns dias no DM por problemas musculares. Zagueira do Corinthians, Érika foi diagnosticada com entorse no tornozelo, mas viajou com o grupo e fez trabalhos de fortalecimento com os preparadores em Portimão para se recuperar. Antes da estreia, contudo, acabou cortada — não pelo tornozelo, mas por uma lesão muscular na panturrilha.

Mais sobre a Copa do Mundo Feminina no Yahoo Esportes:

Substituta de Adriana, Luana sentiu dores na região do quadríceps, músculo da coxa esquerda, durante o período em Portimão, mas não foi constatada lesão, apenas um edema inflamatório na região por carga mecânica. A craque Marta também sofreu lesão de grau 1 na coxa esquerda, o que a tirou do primeiro jogo com a Jamaica e do segundo tempo do jogo com a Austrália. E hoje a CBF deu a notícia da lesão de Andressa Alves.

Ao Deixa Ela Jogar, o coordenador de seleções femininas da CBF, Marco Aurélio Cunha falou sobre a série de lesões na seleção e negou que tenha havido sobrecarga nas atletas durante a preparação.

“Lesões existem. O trabalho para nivelar com as grandes seleções tem que ser relevante”, disse o dirigente ao falar sobre o trabalho feito durante a preparação para a Copa. “Mas foi tudo absolutamente dosado, com monitoramento fisiológico, descanso. Depois do jogo com a Austrália, Andressa só fez regenerativo e ontem treinou. Pergunte às atletas, ninguém melhor para responder”, disse o coordenador, que também é médico.

Marco Aurélio também ressaltou que as jogadoras atuam em ligas diferentes e veem de momentos diferentes na temporada – fato apontado pela CBF desde o início do ano para justificar o planejamento de treinos. Em fevereiro, na primeira data Fifa de 2019, as jogadoras passaram quatro semanas treinado na Granja Comary e em Itu com foco no condicionamento físico do grupo justamente em busca desse balanço.

“Para explicar as lesões eu teria que falar muito, mas toda Copa do Mundo, masculina e feminina, é assim. Há limite de performance, dificuldades já muitas vezes dita de diferentes calendários e trabalhos em seus países de origem. O nível de exigência alto sem um grande prazo para treinamento dificulta”, disse o dirigente. “Ninguém aqui é principiante.”

O médico Ivan Grava, do Corinthians, também apontou o fato que as jogadoras se apresentaram vindas de momentos diferentes na temporada, e afirmou que há tecnologias que podem ajudar na prevenção, mas nem sempre esses equipamentos são eficientes para evitar a lesão.

“Não tenho como opinar especificamente porque não tenho conhecimento dos controles utilizados na seleção feminina, mas seleção é um pouco diferente de clube pois chegam jogadoras de times diferentes e em momentos diferentes da temporada”, afirmou Grava ao Deixa Ela Jogar.

“Temos alguns parâmetros que podem nos indicar que o jogador tem uma chance maior de se machucar, mas em alguns casos acontece de os parâmetros estarem normais e o jogador ter uma lesão. O que fazemos é uma possível prevenção de lesão quando esses parâmetros estão alterados. Mas mesmo usando toda a tecnologia disponível pode ocorrer lesão”, acrescentou o médico.

Sem Andressa Alves, quem vai para o jogo é a atacante Ludmila, do Atlético de Madri. Andressinha será a substituta de Formiga, suspensa. O jogo entre Brasil e Itália começa às 16h (de Brasília), em Valenciennes. Para avançar às oitavas de final sem depender de uma combinação de resultados, o Brasil precisa pelo menos de um empate.

Leia também