CBDA divulga critérios para formar Seleção olímpica de natação

LANCE!
·3 minuto de leitura


A Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos divulgou nesta segunda-feira os critérios de convocação da Natação para os Jogos Olímpicos de Tóquio. A Seletiva Olímpica Brasileira – Campeonato Brasileiro Absoluto de Natação está marcada para o Rio de Janeiro, entre os dias 19 e 24 de abril.

A Seletiva Olímpica Brasileira será a única oportunidade para que os atletas obtenham vagas nos Jogos Olímpicos. Nas provas individuais, estarão classificados os campeões e vice-campeões de cada prova, desde que obtenham o índice A estabelecido pela Federação Internacional de Natação. Valerão apenas os índices feitos na Final A.

- Os critérios de classificação para os Jogos Olímpicos foram debatidos exaustivamente durante o ano passado e, com o adiamento dos Jogos e da Seletiva, houve uma nova revisão e estamos divulgando com três meses de antecedência para dar uma segurança e uma tranquilidade para os atletas e treinadores trabalharem visando a seletiva - disse o diretor de Natação da CBDA, Eduardo Fischer.

Para composição dos revezamentos, será necessário respeitar os critérios de participação também estabelecidos pela FINA, assim como a regra para atletas “Relay Only”, que podem ser conferidos na página 4 do documento disponibilizado pela entidade. Clique aqui e veja.

- Uma importante mudança em relação ao critério para a Seletiva adiada foi o revezamento feminino, que ficava preso a uma colocação no Mundial de Gwangju. Agora há a possibilidade de classificação via tomada de tempo, que é um critério da FINA, respeitando os critérios de Relay Only - completou.

Revezamento 4x100m livre masculino

Classificado para os Jogos Olímpicos, por conta do resultado no Mundial de Gwangju, em 2019, o revezamento 4x100m livre masculino será formado pelos quatro primeiros colocados da prova individual dos 100m livre. Caso o quinto colocado consiga nadar igual ou abaixo do índice estabelecido pela FINA, ele será convocado como reserva. Além disso, o quinto colocado terá preferência na lista de vagas do “Relay Only”.

Revezamento 4x200m livre masculino

Campeão e recordista mundial em piscina curta, o revezamento 4x200m livre também conseguiu classificação no Mundial de piscina longa, na Coreia. Este revezamento será formado pelos quatro primeiros do 4x200m livre. Caso o quinto colocado faça um tempo igual ou abaixo do índice da FINA, ele também será convocado. Além disso, ele terá a segunda preferência na lista de vagas do “Relay Only”.

Revezamento 4x100m medley masculino

Também classificado via Mundial de Gwangju, o revezamento 4x100m medley terá sua formação definida com os campões das provas de 100m livre, 100m peito, 100m borboleta e 100m costas. Ainda segundo o regulamento, a vitória em uma prova de estilos não define que o atleta estará na prova de revezamento nos Jogos Olímpicos. Exemplo: Caso a comissão técnica julgue que o vice-campeão dos 100m peito, também convocado para a prova individual, esteja melhor, ele pode ser escolhido.

Revezamentos femininos e mistos

Ainda sem classificação, os revezamentos femininos e mistos precisarão passar por uma repescagem em eventos disponibilizados pela FINA entre 01/03/2019 e 31/05/2021. Durante a seletiva olímpica, serão disponibilizadas tomadas de tempo para estes revezamentos tentem vagas nos Jogos Olímpicos. Entenda como clicando aqui.

Formação da comissão técnica

A comissão técnica da seleção brasileira que irá aos Jogos Olímpicos será formadas pelos treinadores – ainda sem quantidade definida – com melhores resultados dentro do ranking da FINA, obtido por seu melhor treinador na seletiva, considerando sempre apenas provas olímpicas.