CBDA abre espaço para ideias de atletas e procura manter patrocínio

A entidade busca manter o apoio dos Correios, garantido até maio; Interventor acredita em mais três meses de mandato

Após as prisões de quatro dirigentes, incluindo o ex-presidente Coaracy Nunes, a Confederação Brasileira de Desportos Aquáticos (CBDA) busca um novo caminho. Nesta segunda-feira, o interventor da entidade, Gustavo Licks, Ricardo Prado (Coordenador Geral de Esporte) e Marcelo Franklin (advogado da entidade) mostraram confiança na manutenção do patrocínio com os Correios, garantido até maio. Eles também afirmaram que tem a intenção de ouvir sugestões de atletas, como a proposta divulgada pelos nadadores Gustavo Borges, Thiago Pereira e César Cielo.

Licks alegou que seu trabalho junto a CBDA deve durar pelos próximos três meses, prazo estipulado para a realização de eleições presidenciais. Contudo, ele espera deixar a entidade com a garantia de patrocínio dos Correios até o final do contrato. No último mês, após as prisões, a estatal divulgou a intensão de romper a parceria renovada no início deste ano. O sucesso do interventor está atrelado aos avanços que a CBDA terá durante sua curta gestão. Nesta terça, Licks participará de uma audiência pública, em Brasília, para apresentar o plano de governo da entidade.

- Na semana passada, tivemos um encontro. A preocupação dos Correios é mais do que razoável. Para onde vai os recursos, a aplicação desses recursos. Então, acho que é mais do que razoável sentar, explicar e, eventualmente, corrigir o que for necessário para que não se repitam os problemas no futuro. CBDA e Correios estão caminhando juntos e para algo melhor. Acho que sim (permanência da parceria após maio). Estamos tentando levantar quais foram as eventuais falhas, corrigir e dar soluções. Essa é uma parceria histórica, importante para a sociedade brasileira, para o esporte. O fato de você ter o seu nome envolvido em um momento como aquele assusta qualquer patrocinador. Mas os Correios, os atletas e até a própria confederação são vítimas. Nós somos vítimas. Mas, assim que tudo for esclarecido, sei que os patrocinadores vão ter todo o interesse em continuar - disse o interventor.

Sem dar detalhes sobre o plano de mudanças sugerido pela estatal, Licks afirma que a transparência será fundamental.

- Dar sugestões para evitar os problemas recentes é natural. Ver que aqui há um investimento para o esporte, para a sociedade. Todo o dinheiro aplicado se reverte para a sociedade. Da nossa reunião, saiu uma pauta que até maio temos de concluir. Em Brasília, teremos uma nova rodada na audiência. Eu entendo que a pauta é discutir os problemas. Vamos achar a análise e a conclusão para que se evite o que aconteceu.

Mesmo em meio à crise, a CBDA conseguiu, na Justiça, a emissão de passagens para o Sul-Americano juvenil e júnior, realizado nesta semana em Cali, Colômbia. Ricardo Prado assumiu o cargo neste mês e, para dar base esportiva a reformulação, ouvirá propostas de atletas, com as de Cielo, Thiago Pereira e Gustavo Borges.

- Eu acho ótimo (que eles apresentem propostas). Eles são experientes, principalmente Gustavo, com sucesso no mundo empresarial. Certamente vai ser uma ajuda bem-vinda, sem dúvida. Queremos ouvir a opinião deles. Se não foi no passado, nossa marca agora é ter transparência. Está mais do que na hora (de atletas terem peso nos votos e nas decisões) - comentou Prado.

O Coordenador também comentou que a CBDA terá dificuldades para cumprir o calendário de eventos, mas afirma que a direção trabalha para não fazer alterações. Futuramente, Prado acredita que será o momento de mudar o enfoque e tentar privilegiar a base.

- Podemos mudar enfoque para categorias de base. Isso, mais tarde, dará mais frutos. Acho que os Correios confiam muito na CBDA. Estiveram aqui dentro esses anos todos. Eles confiam e a entidade precisa desse apoio. Passada essa fase ruim, vai voltar mais forte. Natação vai ganhar. Vai ser positivo. Ótima chance para melhorar. Vamos ter dificuldade de cumprir os calendários. Não temos recursos. O ideal é que a gente saia melhor e com imagem ótima para reconstruir. Mas é uma instituição vencedora, patrocinador forte e que vai continuar.













E MAIS: