Cazares se consolida como garçom no Atlético-MG

ENRICO BRUNO E VICTOR MARTINS

BELO HORIZONTE, MG (UOL/FOLHAPRESS) - O último lance de Cazares em 2016 foi um golaço na final da Copa do Brasil, contra o Grêmio. Então com a camisa 11 do Atlético-MG, o equatoriano ainda estava no campo de defesa quando bateu para o gol e encobriu o goleiro Marcelo Grohe, fazendo o gol de empate atleticano, jogo disputado em Porto Alegre.

Gol que foi o último de Cazares pelo Atlético. Desde então, o meia não conseguiu mais balançar as redes adversárias. Agora dono da camisa 10 atleticana, o equatoriano tem se especializado em servir os companheiros. E assim foi na vitória sobre a URT, a nona consecutiva do Atlético no Campeonato Mineiro.

Já nos minutos finais do jogo, o camisa 10 lançou Luan, que passou pelo goleiro Juninho antes de fazer o segundo gol alvinegro da tarde. Foi a sexta assistência de Cazares em 2017, em 13 jogos. Se comparado com 2016, o equatoriano apresenta uma grande evolução. Em 42 jogos no ano passado, Cazares deu dez passes para gols.

Números que são uma resposta de Cazares ao que passou neste começo de temporada. Embora seja o único jogador do elenco que tenha atuado nas 13 partidas de 2017, Cazares tem alternado entre titular e reserva.

"Estou tranquilo sobre essa situação. Quando fica no banco de reservas, vou incentivar meus companheiros. Se jogo como titular, vou procurar fazer o melhor para não poder sair do time. Mas agora estou tranquilo, estou bem e bastante motivado para fazer boas partidas", disse o equatoriano, que vê o Atlético bastante motivado para o clássico deste sábado, com o Cruzeiro.

"Estamos bem, pois muitos times não conseguem uma sequência assim, de nove vitórias. Isso nos faz muito bem para a gente, nos motiva. Agora é ir com tudo para o próximo jogo, contra um adversário muito forte".