Cavenaghi justifica desprezo da seleção por Batistuta; Maradona detona geração

Ex-atacante e ídolo da seleção argentina revelou que foi tratado com indiferença em treino da seleção

Na última quinta-feira, o ex-atacante e ídolo da seleção argentina, Gabriel Batistuta, revelou que foi ignorado pelos atletas quando decidiu visitar um treinamento para compartilhar sua experiência. Porém, nesta sexta surgiu uma explicação.

Segundo o também ex-atacante Fernando Cavenaghi, os atletas da seleção ficaram nervosos ao ver o craque, que é o segundo maior artilheiro da história da Argentina, com 54 gols. O ídolo do River Plate acredita que tudo foi um grande mal entendido.

- Eu também fui (fazer uma visita a um treinamento da seleção argentina) e todos eles me cumprimentaram e foram respeitosos comigo. Posaram para muitas fotos com Benjamín, meu filho. Falei com Bati. Acredito, de verdade, que os meninos ficaram nervosos ao vê-lo - comentou o ex-jogador de Internacional, Villarreal e Bordeaux.

Ainda nesta sexta-feira, Diego Maradona saiu em defesa de Batistuta, criticando a nova geração da Argentina. Segundo ele, é inadmissível que os atletas não o conheçam.

- Fiquei com vontade de chorar quando li o que Batistuta contou. Até meu neto Benjamín sabe quem ele é. É inadmissível que alguns jogadores não o cumprimentaram. Mas, para mim, também é culpa do técnico, porque deveria ter explicado a eles quem foi Batistuta e o que representou para nós - disse em entrevista ao programa "De fútbol se habla así".







E MAIS: