Cavalieri é expulso, Flu segura por 45 minutos, mas Goiás vira no fim

João Mércio Gomes

Por pouco, o Fluminense não conseguiu uma grande vitória contra o Goiás no primeiro jogo da quarta fase da Copa do Brasil. Com gol de Marcos Junior e Diego Cavalieri expulso ainda na etapa inicial, o time de Abel segurou o resultado até os minutos finais, mas levou a virada em dois lances seguidos: 2 a 1 no Serra Dourada.

Mesmo jogando fora de casa e desfalcado de Richarlison e Scarpa, lesionados, o Fluminense não se intimidou e buscou abrir o placar desde os primeiros minutos. Logo aos cinco, Léo cobrou lateral direto na área e Dourado quase aproveitou a sobra, mas, desequilibrado, não conseguiu a finalização. O time de
Abel manteve postura ofensiva e, depois de 86 segundos de posse de bola, Marcos Jr - que ganhou nova chance - recebeu boa assistência de Wellington e chutou cruzado de canhota, no cantinho. O jogo se desenhava para o Tricolor e o 1 a 0 no placar parecia pouco. Até que os obstáculos começaram a aparecer para Abel Braga.

Aos 15' da primeira etapa, o artilheiro Henrique sentiu a coxa e pediu
substituição. Pedro entrou e a primeira substituição foi queimada. Em
um lance bobo, Renato Chaves disputou bola com Léo Gamalho, abriu corte na
testa e saiu para ser atendido. Voltou de touca e, com a camisa sangrando,
precisou trocar de uniforme. Fora de campo, viu o time sofrer contra-ata-
que que resultou na expulsão de Cavalieri, após carrinho forte fora da
área em Carlos Eduardo, no fim do primeiro tempo. Sornoza foi sacrificado para entrada de Júlio César.

O que parecia um jogo fácil, transformou-se em teste de resistência pa-
ra o Time de Guerreiros. Desde o momento do cartão vermelho, a pressão
do Goiás foi intensa. O meia Tiago Luís buscava de todas as formas municiar o ataque do time da casa, que, pouco inspirado, não conseguia furar o bloqueio da defesa. Aos 18' da 2ª etapa, Calazans entrou no lugar de
Marcos Jr. e o Tricolor fechou a retranca até o Esmeraldino praticamente perder as forças.

Mas, como diz o ditado, água mole e pedra dura tanto bate até que fura. E o Goiás furou a defesa com um chute certeiro de muito longe de Jean Carlos, que
acabara de entrar. Aos 40'. A empolgação tomou conta do estádio e a
pressão aumentou. No minuto seguinte, Aylon aproveitou confusão
na área e se jogou na área. O árbitro marcou pênalti e Léo Gamalho, com
frieza, garantiu a virada. A revanche é na quarta-feira, no Maracanã.

FICHA TÉCNICA
GOIÁS 2X1 FLUMINENSE


Estádio: Serra Dourada, em Goiânia (GO)
Data-hora: 14/4/2017, às 21h30
Árbitro: Marcelo Aparecido R de Souza (SP)
Assistentes: Marcelo Carvalho Van Gasse (SP/FIFA) e Miguel Cataneo Ribeiro da Costa (SP)
Renda/Público:
Cartão amarelo: Hélder, Patrick, Michael, Victor Bolt (GOI); Pedro, Renato Chaves e Aylon (FLU)
Cartão vermelho: Diego Cavalieri (FLU) e Carlos Eduardo (GOI)

GOIÁS: Marcelo Rangel; Hélder, Fábio Sanches, Everton Sena e Jefferson; Victor Bolt, Patrick, Léo Sena e Tiago Luís; Carlos Eduardo e Léo Gamalho - Técnico: Sílvio Criciúma.

FLUMINENSE: Diego Cavalieri; Lucas, Henrique, Renato Chaves e Léo; Orejuela, Wendel e Sornoza (Júlio César); Marcos Junior (Calazans), Wellington Silva e Henrique Dourado (Pedro) - Técnico: Abel Braga.

GOLS: Marcos Jr (9'/1ºT 0-1); Jean Carlos (40'/2ºT 1-1), Léo Gamalho (42'/2ºT 2-1)





































E MAIS: