Catarinense Silvio Acácio Borges assume a presidência da CBJ

Enquanto os judocas brasileiros faziam bonito no primeiro dia de competições do Grand Prix de Tbilisi, na Geórgia, no Rio de Janeiro, na sede da Confederação Brasileira de Judô, Silvio Acácio Borges assumia a presidência da entidade. Eleito por aclamação para o posto, Silvio irá comandar uma das mais importantes confederações brasileiras após quatro mandatos vitoriosos de Paulo Wanderley Teixeira, que se tornará vice-presidente do Comitê Olímpico Brasileiro (COB).

Para sua chapa, primeiramente de 2017 a 2012, Silvio terá José Nilson Gama, do Alagoas, Danys Queiroz, do Piauí, e Seloí Totti, Rondônia, como vice-presidentes. Natural de Joinville, Acácio foi presidente da Federação Catarinense de Judô entre 2012 e 2016.

“Ver a estrutura que a CBJ tem hoje, suas bases e a forma como os colaboradores trabalham, me dá tranquilidade para chegar aqui hoje. Vim para trabalhar com vocês. Minha presença será constante aqui e espero que todos continuem com o mesmo foco em fazer o melhor para o judô brasileiro”, falou o novo presidente da entidade durante sua posse.

Presidente desde 2001 da CBJ, foi durante o mandato de Paulo Wanderley que o Brasil assumiu o posto de uma potência mundial do vôlei. Nas quatro Olimpíadas disputadas no período – Atenas 2004, Pequim 2008, Londres 2012 e Rio 2016 – o país subiu ao pódio 22 vezes.

“Confio nessa nova administração para seguirmos avançando. Saio com muita tranquilidade e com a certeza que fiz o melhor que pude, com dedicação, empenho, suando mesmo a camisa. Não tenho saudosismo e nem arrependimentos. Fecho uma etapa hoje, mas sei que ainda tem muito trabalho pela frente”, afirmou Wanderley, que assumirá seu novo cargo no COB nesta segunda-feira.