Castan analisa liderança em campo, mas exalta elenco do Vasco: 'Sem eles não conseguiria ajudar em nada'

·3 minuto de leitura


Durante a campanha do Vasco na Série B um nome tem se destacado como líder dentro e fora de campo: Leandro Castan. O zagueiro tem bons números na temporada e apareceu nos bastidores da vitória sobre a Ponte Preta tecendo palavras de incentivo aos mais jovens do grupo e comandando o vestiário. Em entrevista coletiva, o defensor falou sobe seu bom momento, exaltou o grupo do Vasco e comentou sobre a relação com Lisca.

+ Confira e simule a tabela da Série B do Campeonato Brasileiro

- Sei da importância que tenho no time e no clube, mas não me considero tão importante assim. Acho que sou mais um nesse mecanismo que é o futebol, ninguém joga sozinho. Esses números são até ilusórios. Sei que sou capitão do time, que a rapaziada me olha diferente, mas sem eles eu não conseguiria ajudar em nada. Futebol é um esporte de grupo. Não só um jogador faz diferença, todos podem ajudar, mas se todos não estiverem na mesma sintonia nada vale. Tenho minha parcela de importância, mas divido isso com toda rapaziada que tem lutado muito - disse.

+ Vasco terá reencontros com velhos conhecidos e seis jogos pela Série B; veja o calendário de setembro

Desde a chegada do técnico Lisca, Castan atuou em cinco oportunidades e teve um alto aproveitamento de 80% com quatro vitórias e apenas uma derrota. A defesa tão questionada pela torcida vascaína tomou apenas três gols quando o experiente zagueiro esteve em campo sob o comando do treinador. O jogador falou da relação com Lisca

- Eu sigo o trabalho dele faz tempo. Joguei junto com o Márcio, auxiliar dele, no Barueri. No passado recente, o Lisca sempre foi muito especulado aqui no clube. A gente teve assim um contato informal. Agora, trabalhamos junto. A relação é muito boa. Ele me surpreendeu positivamente. Se fala do "Lisca Doido", mas algumas pessoas não olham que é um grande treinador. Deu para ver essa semana que ele teve tempo para treinar. Ficou claro. Jogamos muito bem contra a Ponte Preta, o time colocou tudo em campo o que ele treinou com a gente. Ele realmente conhece de futebol - revelou o jogador.

+ Léo Matos e Miranda ultrapassam 50 jogos pelo Vasco: confira quantas partidas tem cada atleta do elenco

O jogador também ressaltou que o Vasco foi essencial para a sua retomada no futebol, após grave lesão. Diante disso, ele revelou a gratidão que tem com o clube de São Januário e analisou o momento do time. Na décima colocação, o Gigante da colima soma 31 pontos, a quatro do G4, com 14% de chance de conseguiu o acesso.

Já falei várias vezes que o Vasco foi fundamental para a minha retomada, era um momento difícil da minha carreira, e o Vasco abriu as portas. A gratidão é para sempre. Acho que a gente está se dedicando muito, é claro que às vezes o resultado não tem mostrado isso, mas a gente vai fazer de tudo. A matemática não é importante agora. Mesmo com esses 14%, a gente só depende da gente. A gente tem mais uma final contra o Brasil. É pensar jogo a jogo, passo a passo e pés no chão. Não temos tempo para errar, mas saber que vamos dar o máximo. Essa mescla de juventude e experiência no final vai dar muito certo. Nesse jogo já mostrou Andrey e Caio Lopes fazendo gols, e eles precisam muito desse apoio de vocês - completou.

O próximo compromisso do Vasco na Série B será na sexta-feira, às 19h, contra o Brasil de Pelotas, também na Colina Histórica. A partida é válida pela vigésima segunda rodada, a terceira do returno da Série B.

Nosso objetivo é criar um lugar seguro e atraente onde usuários possam se conectar uns com os outros baseados em interesses e paixões. Para melhorar a experiência de participantes da comunidade, estamos suspendendo temporariamente os comentários de artigos