Caso Emanuelle: após confessar assassinato, vizinho é encontrado morto na cadeia

Reprodução/TV TEM/Globo/Reprodução
Reprodução/TV TEM/Globo/Reprodução

Aguinaldo Guilherme de Assunção, 49 anos, assassino confesso da menina Emanuelle Pestana de Castro, 8 anos, em Chavantes (SP), foi encontrado morto na cela onde estava preso no Centro de Detenção Provisória (CDP) de Cequeira César, a 304 quilômetro de São Paulo. A morte ocorreu na madrugada desta quarta (15).

Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

O boletim de ocorrência aponta que um funcionário do CDP fazia a contagem de presos e avistou Assunção com um lençol enrolado ao corpo. As circunstâncias da morte estão sendo investigadas no momento, mas a primeira suspeita da polícia é de suicídio.

Leia também

A menina estava desaparecida desde sexta (10), quando saiu para brincar no parquinho de uma praça. Na segunda (13), o corpo foi achado próximo a um córrego na área rural da cidade do interior paulista. Após interrogatório, Assunção confessou o assassinato.

O desaparecimento mobilizou a cidade de 12 mil habitantes. Grupos de moradores se organizaram para tentar localizar a criança e o caso ganhou repercussão nacional. Uma equipe de voluntários de Marília, na região, também participou das buscas ao lado dos policiais. 

Equipes da polícia precisaram usar um trator para ter acesso ao local em que o corpo estava parcialmente enterrado. Por causa da chuva dos últimos dias, carros da polícia atolaram na lama e foram resgatados. 

Leia também