Caso Eliza Samudio: Bruno diz que processo é 'mentiroso' e pede que Macarrão 'conte a verdade'


Ex-goleiro do Flamengo, Bruno Fernandes concedeu entrevista ao jornal "O Tempo" e voltou a negar ter se envolvido com a morte de Eliza Samudio. Ele afirmou que "Bola", o ex-policial Marcos Aparecido dos Santos, não matou Eliza e disse que o ex-policial foi envolvido no caso por desavenças com o delegado do caso, Edson Moreira.

- Até que me provem o contrário, para mim, o Bola é inocente. Nesse caso, ele é. Quero avaliar a prova que liga o Bola a esse assunto. Não tem. Foi muito mais naquela época lá, que tinha que condenar, quando o Macarrão falou no júri que o 'Bruno agora é o mandante, agora fecha. O Bola é o executor'. Tá, ele é o executor, prova isso. Prova também que eu sou o mandante - comentou Bruno.

"Bola" foi condenado a 22 anos de prisão por ter matado Eliza Samudio, enquadrando em homicídio duplamente qualificado. além de ocultação de cadáver.

- Você só pode ser condenado em um caso de homicídio se tiver 100% de certeza, e o meu não tem 100% de certeza, nunca. Pode olhar lá, o processo é mentiroso - falou o ex-goleiro, que está em prisão domiciliar em Varginha, região sul de Minas Gerais. Ele foi condenado a 20 anos. como mandante.

Luiz Henrique Romão, o "Macarrão", seria o principal alvo para resolver o caso, apontou Bruno. Na época, muitos torcedores associaram a morte de Eliza com a amizade leal de Macarrão e o ex-atleta da Gávea.

- Acho que ele (Macarrão) deve isso para a sociedade. Se ele foi a última pessoa a estar com a Eliza, por que ele não fala onde ela está então? Fala o que aconteceu realmente com ela. Não o que ele falou lá no júri, porque o júri é mentira - comentou, pedindo para que "Maracarrão" diga a verdade sobre o caso.











Role para baixo para continuar lendo
Anúncio

Leia também